Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Petróleo Brent deve ficar estável em US$ 70/barril em 2019


postado em 02/06/2019 14:38

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês) espera que o preço do petróleo tipo Brent siga estável em 2019 ante a média do ano anterior, em torno de US$ 70. A soma, no entanto, ainda está 27,5% acima da média de US$ 54,9/barril reportada em 2017. Pelas projeções divulgadas hoje pela entidade, a participação dos custos com combustível no custo operacional do setor deve aumentar de 23,5% informado no ano passado para 25% em 2019.

Reflexo dos maiores custos trabalhistas, de infraestrutura, entre outros, as despesas totais das empresas do setor aéreo devem crescer 7,4% neste ano, para US$ 822 bilhões.

Já as receitas totais das companhias não estão conseguindo acompanhar o ritmo da alta nos custos, com a entidade projetando um aumento de 6,5% na receita em 2019 ante o ano anterior, para US$ 865 bilhões.

Carga e passageiros

No segmento de transporte de carga, depois da alta excepcional de 9,7% registrada em 2017, o crescimento na demanda desacelerou para 3,4% em 2018 e deve apontar estabilidade em 2019, prevê a Iata, atingindo 63,1 milhões de toneladas, com destaque para a imposição de tarifas comerciais maiores. Em 2018, o segmento transportou 63,3 milhões de toneladas. O rendimento no transporte aéreo de carga deve ficar estável neste ano, após a alta de 12,3% em 2018, com queda contínua nos fatores de ocupação e piora nas condições de oferta e demanda.

Já o crescimento na demanda por transporte de passageiros, pelos cálculos da Iata, deve ser mais robusto. Isso se deve porque as projeções para o PIB global apontam para um crescimento ainda forte de 2,7%, embora menor que o alcançado em 2018, de 3,1%.

Reflexo da deterioração das condições do mercado, a demanda total por passageiros (medida em número de passageiros por quilômetro voado) deve crescer 5% neste ano, abaixo da expansão de 7,4% de 2018. As companhias aéreas têm respondido ao ambiente de crescimento menor reduzindo sua expansão de capacidade para 4,7%, observa a Iata.

Pelas estimativas da entidade, o número total de passageiros transportados em 2019 deve apresentar leve acréscimo em relação ao ano passado, subindo de 4,4 bilhões para 4,6 bilhões. Já o rendimento por passageiro deve ficar estável, após a queda de 2,1% em 2018.

*A jornalista viaja a convite da Associação Internacional de Transporte Aéreo

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade