Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Empresa resultante de venda da Embraer se chamará Boeing Brasil - Commercial

A venda de 80% da divisão de aviação comercial da fabricante brasileira de aviões para a americana foi fechada no começo de julho do ano passado


postado em 23/05/2019 16:54 / atualizado em 23/05/2019 20:47

O governo detinha uma ação especial na companhia, resquício da época em que ela era estatal(foto: Reprodução/Boeing Brasil)
O governo detinha uma ação especial na companhia, resquício da época em que ela era estatal (foto: Reprodução/Boeing Brasil)

A Embraer comunicou seus funcionários na tarde desta quinta-feira, 23, que a empresa resultante de sua fusão com a Boeing se chamará Boeing Brasil - Commercial. A venda de 80% da divisão de aviação comercial da fabricante brasileira de aviões para a americana foi fechada no começo de julho do ano passado e autorizada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

 

 

 

O governo detinha uma ação especial na companhia, resquício da época em que ela era estatal, que lhe dava poder de veto para decisões como venda.

Os segmentos de defesa e aviação executiva da empresa brasileira foram excluídos do acordo de US$ 5,26 bilhões e continuam se chamando Embraer.

Uma joint venture entre as companhias, porém, foi criada para a comercialização do cargueiro militar KC-390, a maior aeronave já desenvolvida no Brasil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade