Publicidade

Estado de Minas

Votação do parecer da reforma da Previdência fica para semana que vem

Afirmação é do o líder do PSL na Casa, delegado Waldir (PSL-GO). Adiamento ocorreu em meio à pressão do centrão, que pede por mudanças no texto do relator


postado em 17/04/2019 12:58 / atualizado em 17/04/2019 14:28

O líder do PSL na Casa, delegado Waldir (PSL-GO)(foto: Cléa Viana/Câmara dos Deputados )
O líder do PSL na Casa, delegado Waldir (PSL-GO) (foto: Cléa Viana/Câmara dos Deputados )


A votação do parecer pela admissibilidade da reforma da Previdência foi suspensa, nesta quarta-feira (17/4), e será retomada apenas na terça-feira (23/4) da semana que vem.  O presidente da CCJ, Felipe Francischcini (PSL-PR), interrompeu a sessão por 15 minutos depois de parlamentares pedirem pela presença do relator, delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), no plenário.
Questionado se a sessão seria retomada ainda nesta quarta, o líder do PSL na Casa, delegado Waldir (PSL-GO), afirmou que ficaria para semana que vem. O adiamento da votação ocorreu em meio à pressão do centrão, que pede por mudanças no texto do relator. O bloco enviou uma proposta de retificações no texto ao secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, com cinco demandas, consideradas "jabutis" pelo bloco. 

Entre as reivindicações, estão a "PEC da Bengala", que voltaria a idade mínima de aposentadoria compulsória nos tribunais para 70 anos. Atualmente, a idade mínima é 75; o abono salarial do PIS/Paseb, que deve ser pago somente para quem ganha até um salário mínimo mensal. Hoje, o abono é para quem ganha até dois salários mínimos; e o FGTS, que deverá ser cortado para os aposentados que continuam trabalhando e deverão pagar multa de 40% em caso de demissão sem justa causa.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade