UAI
Publicidade

Estado de Minas

Brasil será maior produtor de biodiesel do mundo

É uma grande oportunidade para toda a cadeia de produção, como empresas de transporte, termelétricas e o pessoal do agronegócio


postado em 23/01/2019 06:00 / atualizado em 23/01/2019 09:33


O Brasil está caminhando para se tornar o maior produtor de biodiesel do mundo, à frente dos Estados Unidos. Isso porque o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) deu sinal verde para o aumento da mistura do biodiesel ao diesel de petróleo. A proposta estabelece que a adição de biodiesel cresça um ponto percentual ao ano, passando do atual patamar de 10% para 11% em junho de 2019. O processo continua sucessivamente e a ampliação será realizada até março de 2023, quando o número chegará a 15%. De acordo com o CNPE, a estimativa é que a produção do biodiesel brasileira passe de 5,4 bilhões de litros anuais para mais de 10 bilhões de litros entre 2018 e 2023. Isso representa um aumento de 85% da demanda doméstica.  “É uma grande oportunidade para toda a cadeia de produção, como empresas de transporte, termelétricas e o pessoal do agronegócio”, diz Federico Sakson, responsável pela divisão de negócios de biodiesel da fabricante Camlin Fine Sciences.

Ouvidoria na energia solar

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica lançou serviço para denunciar as distribuidoras de energia que descumprem as regras e dificultam o acesso do consumidor à geração distribuída. A entidade criou uma ouvidoria on-line para que as empresas do setor possam relatar os problemas encontrados nas concessionárias. Entre as queixas mais frequentes estão atrasos na vistoria e homologação do sistema instalado e cobrança de valores excessivos nas obras para conexão à rede.


"Um líder deve ter maior resistência e capacidade de aceitar e abraçar e fracasso"


.Jack Ma, fundador do Alibaba e homem mais rico da China


RAPIDINHAS

» O ano começou mal para a indústria brasileira do tabaco. Além de enfrentar o aumento do contrabando e as restrições da Anvisa para vender os cigarros eletrônicos, as empresas do setor estão em pé de guerra com as associações e sindicatos que representam os produtores rurais.

» Sem acordo sobre o reajuste do preço da matéria-prima, a Associação dos Fumicultores do Brasil, as federações de agricultura dos estados do Sul e as  federações dos trabalhadores rurais decidiram suspender as negociações, ameaçando paralisar parte do fornecimento do tabaco às fábricas.

» Os números provam que 2018 foi o melhor ano da história da gaúcha Vinícola Garibaldi. A cooperativa registrou faturamento recorde de R$ 155 milhões, avanço de 16% na comparação com 2017. Os resultados foram impulsionados pela venda de espumantes, que hoje já representam 32% do faturamento total da empresa. A meta agora é fechar 2019 com crescimento de 20%.

» Empresários chineses que controlam vários negócios na região da Rua 25 de Março, o mais famoso ponto de comércio popular de São Paulo, vão lançar uma espécie de manifesto para destacar que são “amigos do Brasil” e que geram “milhares de empregos” no país. A ideia veio depois que integrantes do governo Bolsonaro andaram criticando as relações comerciais com a China.

Davos 1:
Futuro da Braskem em jogo

Em Davos, na Suíça, a primeira reunião do ministro Paulo Guedes (foto) foi com Jacques Algrain, presidente do conselho da Lyondell Basell. O encontro não foi apenas para a troca de cartões. A petroquímica holandesa está perto de comprar o controle da brasileira Braskem. Para isso, vai precisar do sinal verde da Petrobras, dona da segunda maior participação no capital da companhia brasileira. Se o negócio for fechado, a Lyondell Basell se tornará a maior produtora de polipropileno e polietileno do mundo.

Davos 2:
Quem é mais forte: Ferrari ou Amazon?

Ranking divulgado pela consultoria Brand Finance durante o Fórum de Davos colocou a Ferrari no topo das empresas mais valiosas do mundo. O levantamento leva em consideração aspectos como investimento em marketing e desempenho do negócio. A Ferrari ganhou pontos com ações que reforçaram a presença em merchadising, além dos seus parques temáticos e o hotel Maranello Village. Quando o critério é valor de mercado, quem ocupa o primeiro posto é a americana Amazon, avaliada em US$ 187,9 bilhões.

813.291 brasileiros
investiram na bolsa de valores em 2018, ou 31% a mais do que o ano anterior. A retomada econômica e o otimismo com a agenda reformista do governo Bolsonaro devem atrair cada
vez mais pessoas físicas para o mercado de ações


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade