Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Renault, Nissan e Mitsubishi reiteram parceria após prisão de Ghosn


postado em 29/11/2018 14:21

Renault, Nissan e Mitsubishi afirmaram estar "totalmente comprometidas" com a aliança global de automóveis, depois que executivos das companhias se reuniram formalmente pela primeira vez desde a prisão do brasileiro Carlos Ghosn, o principal arquiteto da parceria.

As três empresas, cuja aliança foi formada por Ghosn há quase duas décadas, divulgaram uma declaração conjunta nesta quinta-feira, 29. O elo se deu depois que a montadora francesa Renault investiu em sua rival japonesa Nissan. Hoje, a Renault possui 43% da Nissan, enquanto a Nissan possui apenas 15% da Renault.

Após a prisão de Ghosn na semana passada, a Nissan e a Mitsubishi expulsaram o executivo como seu respectivo presidente, embora ele continue sendo o CEO da Renault, que nomeou executivos para preencher esses cargos de maneira provisória.

Pessoas próximas à Nissan disseram que a saída de Ghosn é uma oportunidade para reequilibrar o poder com a Renault. Já pessoas ligadas à Renault afirmaram que a empresa se oporia a qualquer tentativa de reformular fundamentalmente sua parceria. Fonte: Dow Jones Newswires.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade