Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Confiança do consumidor cresce e vai a maior nível desde janeiro de 2014, diz CNI


postado em 23/11/2018 12:10

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec) de novembro cresceu 2,7% em relação a outubro, ficando em 113,6 pontos. Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), responsável pelo estudo, esta é a quinta alta consecutiva do indicador, que também é o maior desde janeiro de 2014.

A entidade destaca que essa melhora na confiança está ligada diretamente a um maior otimismo diante da inflação e do emprego. O indicador de expectativas para a inflação subiu 8,6% e o de desemprego, 6,5% ante outubro.

Quanto maior o indicador, maior é o número de pessoas que esperam queda da inflação e do desemprego nos próximos seis meses. Na comparação com novembro passado, o indicador de expectativa de inflação subiu 25% e o de desemprego cresceu 19,1%.

Além de inflação e emprego, todos os outros componentes do Inec melhoraram em novembro, exceto o de compras de bens de maior valor, como móveis e eletrodomésticos. O indicador caiu 0,5% em relação a outubro e está 3,8% menor do que o registrado em novembro do ano passado, "confirmado que os brasileiros estão mais cautelosos com as compras desse tipo de bem".

Mesmo assim, o economista da CNI Marcelo Azevedo avalia que é o aumento da confiança do consumidor que cria as bases para a recuperação do consumo. "Com a confiança em nível elevado, é possível que as compras de Natal deste ano sejam melhores do que as do ano passado", comenta.

Renda e endividamento

O indicador de expectativa de renda pessoal aumentou 3,3% em relação a outubro e cresceu 17,9% frente a novembro passado, mostrando que os brasileiros esperam aumento da renda pessoal nos próximos meses. O indicador de endividamento subiu 1,1% e está 15,8% maior que o do mesmo mês de 2017, revelando menor endividamento dos brasileiros.

Quanto à situação financeira, os consumidores ainda mostram insegurança. O indicador desse componente permanece praticamente estagnado na comparação mensal, com alta de apenas 0,1%.

O Inec é realizado em parceria com o Ibope Inteligência e nesta edição ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios entre os dias 8 e 12 de novembro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade