Publicidade

Estado de Minas

Minas tem ritmo menor de crescimento

Dados foram divulgados pelo Boletim Regional do Banco Central


postado em 21/11/2018 06:00 / atualizado em 30/11/2018 11:18

A economia mineira cresceu em média 1,1% de janeiro a setembro deste ano – um recuo frente ao índice de 2,9% verificado no último trimestre de 2017 – e pouco abaixo da média nacional, que foi de 1,3%. Os números são do Boletim Regional do Banco Central (BC) divulgado ontem, em Belo Horizonte. A expectativa para 2019 é que o estado possa atingir níveis mais elevados.

De acordo com o assessor pleno do Departamento Econômico em BH, Rodrigo Lage de Araújo, alguns fatores podem explicar a redução no crescimento do estado. “Na indústria ativa, no primeiro trimestre tivemos diminuição acentuada da produção em virtude de chuvas mais acentuadas, o que prejudica a operação no dia a dia. Na sequência se observou a paralisação dos transportadores, que afetou diversas cadeias de suprimento e diversas indústrias tiveram que paralisar sua produção por falta de insumos”, apontou.

Além disso, o período eleitoral, marcado por incertezas e expectativa no mercado externo, contribuiu para um maior receio do empresário para investir em Minas e no Brasil. Para 2019, na avaliação dele, será possível que as empresas se planejem melhor e tenham definidos os investimentos – o que trará reflexos no aumento da demanda e melhor atividade econômica.

O Boletim Regional do BC mostrou ainda que Minas Gerais registrou inflação de 4,35% nos primeiros nove meses do ano – pouco abaixo dos 4,56% registrados no país. O principal fator para a inflação são os chamados serviços monitorados (água, energia, gasolina) e alimentação no domicílio, que atingiram índice de 3,15%. Um fator que pode explicar esse crescimento nos preços dos alimentos é a greve dos caminhoneiros, período em que houve perda e falta de produtos no mercado. De qualquer forma, Rodrigo Lage lembrou que o número está abaixo do centro da meta e apresenta uma tendência decrescente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade