Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Maior do que média do País, desemprego no 3º tri em SP fica em 13,1%, diz IBGE


postado em 14/11/2018 10:30

A taxa de desocupação no Estado de São Paulo recuou de 13,6% no segundo trimestre do ano para 13,1% no terceiro trimestre, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta quarta-feira, 14, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No terceiro trimestre de 2017, a taxa de desemprego em São Paulo estava ligeiramente mais alta, aos 13,2%.

O nível de desocupação no total do País no terceiro trimestre de 2018 foi de 11,9%, ante 12,4% no segundo trimestre.

No terceiro trimestre de 2018, as unidades da federação com as maiores taxas de desemprego foram Amapá (18,3%), Sergipe (17,5%) e Alagoas (17,1%). As menores taxas de desocupação foram as de Santa Catarina (6,2%), Mato Grosso (6,7%) e Mato Grosso do Sul (7,2%).

A taxa de subutilização da força de trabalho, que soma os desocupados, os subocupados por insuficiência de horas e a força de trabalho potencial, foi de 24,2% na média do País, o que significa que faltou trabalho para 27,32 milhões de pessoas no terceiro trimestre.

Piauí (39,9%), Maranhão (38,8%) e Bahia (38,5%) apresentaram os maiores níveis de subutilização, enquanto os menores ocorreram em Santa Catarina (11,2%), Mato Grosso (14,3%), Rio Grande do Sul (15,5%).

O País tinha 4,78 milhões de desalentados no terceiro trimestre, ante um contingente de 4,83 milhões no segundo trimestre.

No período de julho a setembro, as unidades da federação com maior quantidade de pessoas em desalento foram a Bahia (794 mil pessoas) e o Maranhão (523 mil).

Os menores contingentes estavam em Roraima e no Amapá, com 12 mil e 11 mil pessoas, respectivamente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade