Publicidade

Estado de Minas

Alimentação saudável ganha comércio em BH

De olho no crescimento do número de brasileiros que buscam alimentação balanceada, empreendedores apostam e investem no segmento, vislumbrando um futuro promissor


postado em 24/09/2018 06:00 / atualizado em 24/09/2018 08:00

Guilherme Astone e Luiz Gustavo Moreira, sócios na Horta 31, já planejam mais 18 unidades além das 12 lojas que funcionam há um ano em BH(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Guilherme Astone e Luiz Gustavo Moreira, sócios na Horta 31, já planejam mais 18 unidades além das 12 lojas que funcionam há um ano em BH (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)

A busca da saúde e do corpo perfeito levou o Brasil a ocupar hoje a 5ª colocação no mercado mundial de alimentação saudável – e que deverá movimentar, somente neste ano, R$ 63,5 bilhões. As projeções são das melhores: segundo a pesquisa Euromunitor, até 2021, o crescimento do segmento será de 4,4%. De acordo com dados levantados pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a cada 10 brasileiros, oito disseram se esforçar para ter uma alimentação balanceada e sete admitem pagar mais caro para comer melhor.

Em Minas Gerais não é diferente. A julgar pelo crescimento de restaurantes e lanchonetes do segmento. Um bom exemplo vem do Horta 31, que, há pouco mais de um ano em Belo Horizonte, já contabiliza 12 unidades espalhadas pela cidade. Os planos da rede passam por mais 18 restaurantes na capital e interior. Além do bufê com mais de 50 opções de saladas, legumes, proteínas e carboidratos bons ao preço de R$ 42,90 o quilo, o cliente ainda pode pedir as porções em casa.

“Morei no Rio durante três anos e eu e minha mulher estávamos querendo voltar para BH. Pesquisamos muito sobre onde poderíamos investir e verificamos que valia a pena empreender no ramo de alimentação saudável, que ainda estava muito carente em Belo Horizonte. Hoje, é um segmento que tem crescido e pode crescer ainda mais”, comemora Luiz Gustavo Dinis, sócio-proprietário do Horta 31.

Foi depois de muita pesquisa de mercado que o administrador de empresas Márcio Teodoro criou o Mercado da Salada, há quatro anos localizado no Bairro Funcionários, e aberto de domingo a domingo. “Não sou nutricionista ou gastrônomo, entrei no ramo por uma tendência de mercado e mudei meu estilo de vida”, conta ele, que perdeu 35 quilos depois que abriu o restaurante, que oferece refeições naturais com toque gourmet. Até o fim deste ano, o Mercado deverá abrir mais duas unidades, na Pampulha e no Buritis.

PRESCRIÇÃO O diferencial do restaurante, segundo Márcio Teodoro, são os pacotes especiais para diabéticos e cardíacos, além do cardápio personalizado a partir da prescrição de uma nutricionista. “Não acreditamos naquela receita pronta, de que o que é bom para mim será para você. O metabolismo das pessoas é variável, por isso, acreditamos que o resultado será melhor com dietas personalizadas”, diz ele, que conta com a consultoria de uma nutricionista. Quem tiver a receita de um profissional também pode apresentá-la na casa para montar seu prato.

No Mister Salada, são as mulheres entre 28 e 35 anos que mais procuram as refeições frescas e leves ofertadas pelo restaurante. Mas a cada dia vem crescendo o público formado por jovens e homens. “Hoje, as pessoas mais novas também estão preocupadas com a saúde, e a probabilidade de que elas continuem comendo alimentos mais saudáveis é grande”, aposta Vinícius Carvalho Gomes, proprietário do restaurante, inaugurado há dois anos e meio no Lourdes, em Belo Horizonte.

A cada dia, conta, novos clientes chegam ao Mister Salada, que funciona de segunda-feira a sábado, na loja física ou delivery. “E os clientes sempre voltam. Comprovo isso pelo cartão fidelidade que damos a eles”, brinca o administrador de empresas. Daí os planos de expandir o negócio, com novas unidades, com o self-service de saladas, carnes, frutas, sucos e salgados low carb.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade