Publicidade

Estado de Minas

BNDES: Indústria desembolsa R$ 5,1 bilhões no 1º semestre de 2018


postado em 24/07/2018 19:00

Rio de Janeiro, 24 - Os empréstimos corporativos, para a indústria e o setor de comércio e serviços, seguem perdendo espaço no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). No primeiro semestre, a indústria ficou com R$ 5,1 bilhões, ou 18,4% do total liberado pelo banco de fomento, uma queda nominal (sem descontar a inflação) de 27% em relação a igual período de 2017. Já o setor de comércio e serviços desembolsou R$ 5,9 bilhões, queda nominal de 21% ante o primeiro semestre do ano passado.

Os projetos de infraestrutura receberam R$ 11 bilhões, queda nominal de 9% na comparação com 2017. Esses empréstimos responderam por 39,7% do total liberado pelo BNDES no primeiro semestre. Já os empréstimos para agropecuária ficaram com R$ 5,8 bilhões no primeiro semestre, recuo de 16% em relação aos seis primeiros meses do ano passado.

Em nota, o BNDES ressaltou o ganho de participação das médias, pequenas e microempresas (MPMEs) no total de desembolsos do banco. No primeiro semestre de 2017, empresas desse porte responderam por 39,7% do total liberado. No primeiro semestre deste ano, a fatia subiu para 48,6%, com R$ 13,5 bilhões, avanço de apenas 1%, em termos nominais, em relação aos seis primeiros meses de 2017.

Esse movimento foi marcado por uma queda de 53% nos desembolsos para microempresas (firmas com faturamento de até R$ 360 mil ao ano) e uma alta de 57% nas liberações para as médias empresas (com faturamento entre R$ 4,8 milhões e R$ 300 milhões ao ano). O Cartão BNDES, um dos principais produtos para microempresas, liberou R$ 941 milhões no primeiro semestre, queda nominal de 33% ante 2017.

Já o BNDES Finame, linha automática para o financiamento de investimentos em máquinas e equipamentos, liberou R$ 7,9 bilhões, queda nominal de 9% em relação ao primeiro semestre de 2017.

(Vinicius Neder)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade