Publicidade

Estado de Minas

A força das redes sociais

As redes sociais estão se tornando cada vez mais influentes e lucrativas


postado em 04/06/2018 06:00 / atualizado em 04/06/2018 08:18

(foto: Arte/Soraia Piva)
(foto: Arte/Soraia Piva)

Todos os anos, a analista americana Mary Meeker publica seu esperado relatório sobre os números e tendências da internet. Na 23ª edição, o documento destaca o avanço impressionante das redes sociais, que estão se tornando cada vez mais influentes e lucrativas. Em meio ao emaranhado de dados compilados pela pesquisadora, chama a atenção também o crescimento do e-commerce e dos serviços de streaming. Confira alguns indicadores do estudo.

» 49% da população mundial tem acesso à internet. Em 2009, o índice estava em 24%

» 5,9 horas foi quanto os usuários gastaram por dia, no ano passado, navegando em redes sociais. Em 2009, o tempo não chegava a 3 horas

» US$ 34 foi a receita anual por usuário do Facebook em 2017, mais que o dobro do número de 2015 (US$ 16)

» US$ 450 bilhões foi quanto movimentou o e-commerce nos Estados Unidos, ante US$ 200 bilhões em 2011

» 13% foi participação do e-commerce no varejo global, ante 8% há 4 anos

» 25% foi quanto cresceu o número de assinantes do Netflix em 2017, totalizando 118 milhões de usuários

» 48% foi o avanço do Spotify, que chegou a 71 milhões de assinantes em 2017

A ofensiva dos Maggi em prol do transporte ferroviário
Alguns dos maiores produtores de soja do Mato Grosso, organizados nos bastidores por Eraí Maggi, primo do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, preparam um documento que será endereçado ao presidente Michel Temer para pressionar pela liberação de investimentos em infraestrutura ferroviária no estado. O plano seria entregue ao próximo presidente depois da eleição de outubro. A decisão de antecipar a proposta se deve ao colapso logístico gerado pela greve dos caminhoneiros.

O vazamento de dados da Coca-Cola
Mais uma gigante global é vítima de vazamento de dados na internet. Depois da polêmica envolvendo o Facebook, a Coca-Cola será investigada pela Justiça americana por ter deixado escapar informações confidenciais de 8 mil funcionários. Segundo a empresa, um ex-funcionário teria roubado um HD do departamento de Recursos Humanos da companhia e, criminosamente, jogado na rede. Entre os dados vazados estão nomes, telefones e endereços. O Brasil não foi afetado.

Condenados em ação trabalhista podem ter CNH cassada
Pode parecer estranho, mas a Justiça brasileira poderá cassar a CNH de pessoas que forem condenadas por ação trabalhista. Na semana passada, o TRT da 18ª região decidiu, por unanimidade, que impedir os sócios de uma empresa de dirigir, caso não paguem a indenização ao ex-funcionário, não constitui ato ilícito. Segundo o desembargador Eugênio Rosa, a aplicação destas medidas no âmbito trabalhista encontra amparo no artigo 15 do novo Código de Processo Civil.

US$ 100 milhões
foi quanto encolheu a fortuna de Donald Trump desde que ele assumiu a presidência dos Estados Unidos, segundo a Bloomberg. O motivo é a queda da taxa de ocupação da Trump Tower e das receitas de seus campos de golfe. Agora, a riqueza do presidente está estimada em US$ 2,8 bilhões.

RAPIDINHAS

l A parceria da Embraer com a Uber para a construção e operação de veículos urbanos voadores continua avançando. O aplicativo de transporte vai anunciar investimentos de US$ 23,5 milhões em um centro de desenvolvimento de tecnologia dentro da universidade francesa École Polytechnique.

l A intenção do presidente da Uber, Dara Khosrowshahi, é estabelecer um processo contínuo de troca de tecnologias com várias fabricantes de helicópteros e aviões, inclusive a Embraer. Vale lembrar que os primeiros voos com a tecnologia serão realizados em 2020, em Dallas, Los Angeles e Dubai.

l O escritor britânico Richard Susskind, conhecido pelo polêmico livro “O Fim dos Advogados?”, desembarcou no Brasil para disseminar suas teorias apocalípticas a respeito dos profissionais do direito. Susskind quer provar que a Inteligência Artificial tornará o mundo jurídico tão obsoleto quanto uma coleção da enciclopédia Barsa.

l Enquanto alguns perdem, outros ganham. A falta de combustível nos postos turbinou os negócios de empresas que trabalham com bicicletas. A empresa de entregas Carbono Zero, que atua só com bikes ou veículos elétricos, registrou na semana passada aumento de 300% na procura por seus serviços.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade