Publicidade

Estado de Minas

Etchegoyen promete proteção a caminhoneiros que são alvos de violência


postado em 30/05/2018 14:06

Brasília, 30 - O ministro Sergio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), afirmou nesta quarta-feira, 30, que o governo está "profundamente preocupado" com os atos de violência contra caminhoneiros pelo Brasil. Ele classificou imagens e relatos de agressões divulgadas pela imprensa como "violência impensada".

A greve dos caminhoneiros entra nesta quarta em seu 10º dia, mesmo após as concessões feitas pelo governo Michel Temer à categoria. Muitas entidades denunciam que motoristas estariam sendo ameaçados e por isso não conseguem seguir viagem.

"Não temos mais movimento de caminhoneiros, o que temos agora e tem trazido preocupação é o uso da violência contra movimento de caminhoneiros."

Para o ministro, "aproveitadores" estão ultrapassando "todos os limites da civilidade e da negociação". "Os limites foram rompidos, mas não foram rompidos pelos caminhoneiros nem pelo governo."

Ele disse que, após acordo com governo, a violência tem sido usada como argumento para manter a paralisação dos caminhoneiros e impedir a normalização do abastecimento.

"É preciso que tenhamos claro que haverá e está havendo não só o emprego da autoridade do Estado, como as responsabilidades criminais em todos os aspectos e todas as frentes que isso puder acontecer."

Ele ressaltou que o uso da violência "não pode estar disponível como forma de pressão de movimentos trabalhistas nem como forma de atuação política". O governo suspeita que infiltrados políticos estejam atuando nos movimentos.

Etchegoyen fez um apelo para que os caminhoneiros não se deixem intimidar e garantiu que as forças de segurança garantirão a sua segurança. "Vamos atuar com a energia que se fizer necessária", garantiu. Ele justificou que o movimento é difícil de ser controlado por ser "muito desorganizado e fugir dos parâmetros".

Etchegoyen antecipou que haverá uma reunião do centro de comando e controle, coordenado pelo Ministério da Defesa, ainda nesta tarde para identificar pontos críticos onde as Forças Armadas irão reforçar o trabalho das polícias.

"Nossos caminhoneiros serão protegidos. Para aqueles que estão nas estradas, asseguramos que vamos protegê-los, como estamos fazendo", garantiu o ministro.

(Julia Lindner e Tânia Monteiro)

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade