Publicidade

Estado de Minas

Um carro para chamar de nosso


postado em 18/01/2018 12:00 / atualizado em 18/01/2018 08:08

(foto: Arte/Soraia Piva)
(foto: Arte/Soraia Piva)

Uma novidade promete movimentar a indústria da mobilidade no país: o Free Floating. Trata-se de um tipo de compartilhamento de automóvel em que os carros não têm ponto fixo nem para entrega ou retirada. Na capital paulista, a primeira empresa da área é a Urbano Car Sharing, lançada pela LDS Group em parceria com uma empresa de tecnologia francesa. A operação já possui mais de 1,1 usuários e 5 mil downloads do aplicativo. O valor da locação é de R$ 1,20 por minuto. “Os carros elétricos que farão parte da operação não emitem CO2, o que significa que há redução de emissão de dióxido de carbono”, diz Leonardo Domingos, CEO da LDS Group. “Além, disso, o novo serviço reduz o uso excessivo de carros, o que causará uma verdadeira revolução na mobilidade urbana.” No Brasil, os modelos utilizados são o BMW i3 e o Smart. Na Europa, o sistema vem ganhando espaço em países como Alemanha, França e Suécia.

O maior iate já fabricado no Brasil
O estaleiro italiano Azimut, maior fabricante de iates do luxo do mundo, está transformando sua operação brasileira na maior plataforma de exportações fora da Itália. Em 2017, a companhia, com receitas de 710 milhões de euros, produziu o recorde de 45 embarcações em sua unidade de Santa Catarina, com embarques principalmente para Estados Unidos e Emirados Árabes. Em abril, a companhia entregará o maior iate já produzido no país, o Azimut Grande 30 Metri, ao custo de R$ 45 milhões.

"O próximo presidente precisa ser de centro ou de direita"

Meyer Nigri, fundador da Tecnisa, uma das maiores construtoras do Brasil

Israelenses apostam em shoppings brasileiros
O fundo de investimentos Gazit, um dos maiores de Israel, está com apetite pelo mercado de shoppings centers no Brasil. Depois de comprar 70% do Shopping Internacional, em Guarulhos (SP), por quase R$ 1 bilhão, agora estuda a aquisição de outros conjuntos comerciais do Brasil. O Gazit detém controle ou participação acionária em diversos empreendimentos no país. Entre eles o tradicional Shopping Eldorado, em São Paulo,

Abimaq está, enfim, otimista
A Abimaq, que representa a indústria de máquinas e equipamentos, está mais confiante para 2018. Segundo a entidade, as diversas reformas implementadas pelo governo no ano passado despertaram o interesse de investidores. O presidente do conselho, João Carlos Marchesan, abandonou recentemente o discurso pessimista. “A economia de fato melhorou, a inflação está controlada e a taxa de juros finalmente começou a ceder”, diz ele.

US$ 38 bilhões
é quanto a Apple pagará para repatriar lucros aos Estados Unidos, aproveitando a recente reforma fiscal de Donald Trump. A fabricante do iPhone planeja usar parte de suas reservas no exterior para investir em novos projetos

RAPIDINHAS

Apesar das dificuldades enfrentadas pela economia brasileira no ano passado, o comércio eletrônico não se abalou. O e-commerce cresceu 12% em relação ao ano anterior, com faturamento de R$ 59,9 bilhões, segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Foram mais de 203 milhões de pacotes enviados pelas lojas virtuais brasileiras. Para 2018, a associação projeta crescimento de 15% e faturamento superior a R$ 69 bilhões. A expectativa é que as vendas de celulares pela internet liderem os negócios, com 33% do total de pedidos. Em 2017, elas respondiam por 28%.

A empresa israelense Ituran, especializada em rastreamento de veículos, começou o ano rindo à toa. Com a disparada da violência nas grandes cidades, como Rio de Janeiro, Natal e Porto Alegre, seu faturamento fechou 2017 com crescimento de 40%, alcançado a cifra de R$ 400 milhões. Além de rastreamento, a empresa acelerou com serviços de seguro e guincho.

Um dos mais populares sites de casamentos do Brasil, o Mecasei.com decidiu começar o ano com mudanças importantes em sua estrutura. Além de mudar de nome – passou a se chamar Wedy –, a empresa começará a operar fora do país, especialmente na América Latina. O site já atendeu mais de 270 mil usuários.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade