UAI
Publicidade

Estado de Minas

Justiça do Trabalho do Rio proíbe privatização da Cedae


postado em 19/12/2017 22:07

Rio, 19 - A Justiça do Trabalho do Estado do Rio de Janeiro proibiu, em liminar, que a empresa de saneamento local, a Cedae, seja privatizada e, portanto, usada como garantia no empréstimo de R$ 2,9 bilhões tomado pelo governo do Estado com o banco BNP Paribas. A decisão partiu da juíza Maria Gabriela Nuti, a pedido do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas de Saneamento Básico e Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro (Sintsama-RJ).

"Para que fique bem claro, os réus estão proibidos de praticar quaisquer atos de privatização ou que comprometam o patrimônio da Cedae sem antes ofertar aos seus empregados, em igualdade de condições, a assunção da empresa sob a forma de cooperativas, declarando-se nulos todos os que foram praticados até o presente momento em afronta à Constituição Estadual", traz a decisão.

A juíza considerou a Constituição Estadual que determina que, em caso de privatização de qualquer empresa pública ou de economia mista, os empregados têm preferência para formar uma cooperativa e apresentar uma proposta pela empresa.

O descumprimento da liminar custa multa diária de R$ 500 mil, "valor que poderá ser majorado por este Juízo, a fim de garantir o cumprimento das determinações judiciais", traz a decisão.

(Fernanda Nunes)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade