Publicidade

Estado de Minas

Minas Gerais tem alambique móvel para produção de cachaça

Carreta equipada com destilaria de cachaça, sala de aula e laboratório vai oferecer capacitação em Minas e no Brasil


postado em 19/06/2017 06:00 / atualizado em 19/06/2017 09:43

O primeiro alambique móvel terá cursos de capacitação(foto: Truckvan/Divulgacao )
O primeiro alambique móvel terá cursos de capacitação (foto: Truckvan/Divulgacao )

Concorrente agressivo no mercado fornecedor de cachaças artesanais, Minas Gerais será o primeiro estado a receber um alambique móvel equipado para reproduzir todo o sistema de produção da bebida baseada nas melhores práticas, da moenda ao processo final. Erguido sobre uma carreta, o Alambique-Escola Brasil, projeto pioneiro do Centro Brasileiro de Referência da Cachaça (CBRC), promoverá cursos de capacitação de pequenos alambiqueiros, com foco em qualidade e cumprimento de padrões legais e aqueles mais requeridos no comércio de bebidas destiladas no mundo.

À frente da iniciativa, o presidente da Academia Brasileira da Cachaça de Alambique e do CBRC, José Lúcio Mendes Ferreira, discute a parceria de instituições como o Sebrae, a Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) e o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) para pôr a carreta na estrada. “Buscamos alternativa e soluções para o produtor fabricar o produto premium. Não são os volumes que nos interessam”, afirma.

A escola móvel vai oferecer cursos de formação e atualização profissional de três dias para grupos de 15 alunos, por vez. Não há restrição à participação de pequenos alambiqueiros que estão na informalidade; pelo contrário, de acordo com Lúcio Ferreira, a intenção é também promover o ingresso deles na economia formal. Estimativas da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG) indicam a atuação em Minas de aproximadamente 8 mil pequenos alambiques que empregam ao redor de 86 mil pessoas.

A Emater-MG se associou ao CBRC no projeto, junto à mineira Fábrica de Alambiques Santa Efigênia e à empresa Truckvan, especializada em unidades móveis para várias aplicações. O coordenador-técnico da empresa mineira de extensão rural, Sérgio Regina,  informou que além de atender os produtores, o Alambique-Escola tem como prioridade capacitar funcionários de destilarias, gente interessada em saber como funciona um alambique e o que é preciso fazer para produzir uma boa cachaça.

“Também vamos atender aqueles que querem fazer a análise química da bebida, já que existe um pequeno laboratório dentro da carreta em condições de avaliar a qualidade das cachaças”, afirma Sérgio Regina. O galpão construído e equipado pela empresa Truckvan conta com um alambique de cachaça, coluna de álcool, laboratório, sala de aula para 15 alunos, biblioteca e videoteca. O investimento total no projeto até agora foi de R$ 1,2 milhão.

O alambique móvel trabalha com tecnologia para produção limpa e temperaturas controladas, podendo fabricar 35 litros por dia da bebida. As sobras de matéria-prima serão aproveitadas na obtenção de álcool. Lúcio Ferreira, da Academia Brasileira da Cachaça, diz que são necessários R$ 15 mil por mês para que a escola móvel banque os custos de funcionamento e os professores dos cursos de capacitação profissional. Produtores do Maranhão e do Espírito Santo já manifestaram interesse em receber a carreta, que tem 13 metros de comprimento e 52 metros quadrados de ´área útil.

A intenção é que a carreta rode por todo o Brasil. Considerando-se uma produção estimada em 800 milhões de litros por ano de cachaça no país, segundo o Instituto Brasileiro da Cachaça, cerca de 30% são de bebida artesanal. Ao redor de 1% tem a exportação como destino. Em volume total produzido (cachaças artesanais e de coluna, ou industriais), os principais produtores estão, por ordem, em São Paulo, Pernambuco, Ceará, Minas Gerais e Paraíba.

 RAIO X DO SETOR


» 1,2 bilhão de litros por ano é a capacidade instalada de produção de cachaça no Brasil
» 70% são de cachaça de coluna ou industrial e 30% de cachaça de alambique
» 230 milhões de litros por ano produzidos em Minas Gerais
» 98% dos estabelecimentos são microempresas
» 4 mil marcas disputam mercado no Brasil
» São cerca de 40 mil produtores, que empregam 600 mil pessoas nas formas direta e indireta
» 11,5 litros por habitante ao ano é o consumo estimado no país
» R$ 7 bilhões é o cálculo de quanto movimenta a cadeia produtiva do setor
Fonte: Ibrac e ABCA


Publicidade