Publicidade

Estado de Minas

Mercado baixa previsão de inflação para 7,57% após oito semanas de alta

Mesmo assim, segue distante do teto da meta deste ano de 6,5%. Previsão de queda do PIB em 2016 passa de 3,40% para 3,45%, revela Focus do BC


postado em 29/02/2016 09:22 / atualizado em 29/02/2016 09:44

Após oito rodadas consecutivas de alta, o Relatório de Mercado Focus trouxe nesta segunda-feira, 29, a primeira queda das expectativas para o IPCA deste ano. No documento divulgado durante a manhã pela instituição, a mediana das previsões para a inflação de 2016 apresentou baixa ao sair de 7,62% para 7,57%. Mesmo assim, segue distante do teto da meta deste ano de 6,5%. O BC vem reforçando que continua trabalhando para evitar o índice extrapole esse patamar. Quatro semanas atrás, a mediana na Focus estava em 7,26%.

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do índice no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das expectativas também caiu, passando de 8,13% para 7,95% de uma semana para outra - um mês antes, estava em 7,79%.


No caso de 2017, a previsão ficou congelada em 6,00% pela terceira vez, - quatro edições atrás estava em 5,80%. O teto da meta do ano que vem é de 6,00%. Essa barreira, no entanto, já havia sido ultrapassada em muito pelo grupo Top 5 de médio prazo. Entre esses analistas, a perspectiva para a taxa foi mantida em 6,50% como na semana anterior. Um mês antes, essas instituições apontavam para um IPCA de 7,19%.

Para a inflação suavizada 12 meses a frente, a mediana também recuou, saindo de 6,83% para 6,67% de uma semana para outra - há um mês, estava em 6,82%. Para o curto prazo, houve manutenção das expectativas para a taxa para fevereiro de 2016 (em 0,95%). Um mês antes, estava em 0,85%. Já para março, a direção da mediana das previsões foi de baixa, passando de 0,57% para 0,55% de uma semana para a outra - quatro edições atrás da Focus estava em 0,60%.

De acordo com o último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), divulgado em dezembro, o BC projeta que a inflação encerre este ano em 6,2% no cenário de referência e em 6,3% pelo de mercado. Para 2017, a estimativa da autoridade monetária está em 4,8% pelo cenário de referência e de 4,9% pelo de mercado. Na ata mais recente do Comitê de Política Monetária (Copom), a instituição informou que houve aumento desses porcentuais nos dois casos em ambos cenários. Outro RTI deve ser divulgado em um mês.

PIB em queda

O Produto Interno Bruto (PIB) deste ano deve ter retração de 3 45%, de acordo com o Relatório de Mercado Focus. Na edição anterior do documento, a estimativa era de baixa de 3,40% e na de quatro semanas atrás, de recuo de 3,01%. Para 2017, foi mantida a expectativa de recuperação em 0,50%, após cinco semanas seguidas de redução - um mês atrás, a projeção era de crescimento de 0 70% da atividade.

A produção industrial é o principal setor responsável pelas previsões para o PIB em 2016 e 2017. No boletim Focus, a mediana das estimativas do mercado para o setor manufatureiro revela uma expectativa de baixa de 4,50% para este ano ante -4,40% prevista na semana passada. Na pesquisa realizada quatro semanas atrás, a mediana das estimativas estava em -3,80%. Para 2017, a previsão mudou de 1,00% para 0,80%. Quatro semanas antes, estava em 1,50%.

Os economistas mexeram levemente em suas estimativas para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB, uma das principais variáveis acompanhadas pelas agências de classificação de risco.

Para 2016, a mediana das previsões passou de 40,70% para 40,75% de uma semana para outra, ante 40,00% de quatro semanas antes. No caso de 2017, as expectativas permaneceram em 44,00% de uma edição para a outra - no boletim divulgado há um mês a taxa era de 43,00%.


Publicidade