Publicidade

Estado de Minas

Alfajores Havanna desembarcam em BH

Quiosque da marca de doces da Argentina é inaugurado em shopping da capital mineira


postado em 22/11/2015 21:23

A tradicional marca argentina de alfajores Havanna, que já tem vários quiosques e cafés espalhados pelo Brasil, decidiu investir também em Belo Horizonte. Ela acaba de inaugurar, no BH Shopping, o primeiro ponto franqueado de venda na capital mineira. Com sete funcionários, a nova loja pertence aos irmãos Carolina e Rafael Souza e oferece um mix completo de produtos Havanna, desde os tradicionais alfajores de doce de leite, além de outros produtos fornecidos pela marca, mix completo da cafeteria Havanna, com bebidas quentes e geladas à base de café, chocolate e doce de leite, além de lanches, salgados, doces e panetones recheados com doce de leite.

A diretora da Havanna, Conceição Cunha, explica que a marca pretende trazer mais três pontos de venda para BH até o fim do primeiro semestre de 2016. A empresa argentina chegou ao Brasil em 2006, quando abriu cafés e quiosques em São Paulo e Curitiba. No ano passado, a marca resolveu expandir os negócios e partiu para o sistema de franqueamento, fazendo crescer sua presença no país. Nesse sistema, conseguiu lojas no Rio de Janeiro e nas cidades paulistas de Ribeirão Preto, Sorocaba, Vinhedo, Santos, São Caetano e Mogi das Cruzes.

Até agora, a marca abriu 14 franquias e a expectativa até o fim deste ano é ter mais 10. No total, serão 49 pontos de venda, sendo 25 operados de forma direta e 24 franquias. O objetivo da empresa é chegar a 320 pontos de venda em todo o território nacional, em um período de 48 a 60 meses, entre cafeterias e quiosques, além de uma distribuição seletiva com aproximadamente 170 empórios selecionados para representar a imagem da marca. “Nossa meta é atingir a marca de mais de 1 milhão de alfajores por ano. Na Argentina, são consumidos mais de 6 milhões de unidades por dia”, conta Conceição.

Para se ter ideia, a Havanna já acumula em sua carteira mais de três mil pedidos de franquia. Na Argentina, é um dos negócios de franquia mais desejados no mercado, com cerca de 100 franqueados. De acordo com Conceição Cunha, é uma missão proteger, desenvolver e tornar a marca uma referência no mercado e objeto de desejo dos consumidores. “Nosso objetivo é posicionar a Havanna como um símbolo de qualidade acessível e prazer, que vai além do sabor inigualável dos seus produtos. É uma experiência de consumo em um ambiente acolhedor, moderno e inovador. Agora, acreditamos estar preparados para desenvolver este mercado em âmbito nacional, aqui no Brasil, por meio do sistema de franquia, que nos permite focar em nossa expertise, que é a gestão da marca e a inovação.”

“A Havanna é uma marca com mais de 60 anos de tradição. Temos uma história de qualidade, manutenção de valores como respeito ao consumidor e compromisso com a felicidade do nosso cliente e acreditamos que nossos produtos, lojas e serviços têm que satisfazer nossos clientes. Assim, planejamos um desenvolvimento de negócio que privilegie a qualidade operacional. Queremos que esses diferenciais e nossa preocupação com o cuidado e a atenção ao detalhe cheguem a todos os nossos clientes através do projeto de franquia”, ressalta Conceição. A Havanna desenvolveu no Brasil diversos produtos inéditos, sendo a criadora do panetone recheado de doce de leite e o ovo de Páscoa com tripla camada de doce de leite. Já os alfajores Havanna, produtos icônicos da marca, são importados da Argentina.

INVESTIMENTOS O projeto Havanna de franquias oferece modelos flexíveis de operação, de cafeterias completas, que unem uma loja de doces focados em produtos de doce de leite e uma cafeteria argentina, a quiosques de 9 a 16 metros quadrados para venda somente de produtos Havanna. Os investimentos para abertura de uma franquia variam de R$ 90 mil para um quiosque de produtos, a R$ 240 mil para Café Quiosque (produtos Havanna e mix reduzido de cafeteria), até R$ 330 mil para uma cafeteria completa.

SERVIÇO
Havanna
(31) 3146-8004
www.havanna.com.br

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade