Publicidade

Estado de Minas

Trabalhadores são resgatados em condição degradante em fábrica da Coca-Cola

Além das condições precárias de alojamento, cerca de 40 trabalhadores tiveram as carteiras de trabalho retidas, segundo o Ministério do Trabalho


postado em 23/10/2014 13:02 / atualizado em 24/10/2014 07:28

O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) flagrou cerca de 40 trabalhadores em condições degradantes na fábrica em construção da Coca-Cola em Itabirito, na Região Central do estado. Os fiscais chegaram ao local depois de denúncia dos próprios operários.

De acordo com a fiscalização, os trabalhadores foram contratados pela Matec Engenharia, empresa com sede em São Paulo. Eles foram aliciados de estados do Norte e Nordeste do país como Sergipe, Maranhão e Piauí, chegaram em Itabirito no último sábado, após pagarem a quantia de R$ 500 para custear a viagem.


Além das condições precárias de alojamento, que incluem ausência de água potável, banheiros sujos e falta de camas para os trabalhadores, a empresa de engenharia responsável pela execução da obra não assinou a carteira de trabalho dos empregados, segundo o auditor fiscal Francisco Teixeira, responsável pela ação. Além disso, os documentos dos trabalhadores foram retidos pelos empregadores e levados para São Paulo.

O Ministério do Trabalho informou que vai acionar o Ministério Público para garantir os direitos dos trabalhadores.

Em nota, a Matec diz que “os funcionários em questão foram contratados pela empreiteira terceirizada sem o seu aval ou consentimento”.  Já a Femsa Brasil, fabricante do refrigerante no país, afirma que lamenta a situação, mas que esse grupo de trabalhadores nunca chegou a trabalhar nas obras de Itabirito.


Publicidade