Publicidade

Estado de Minas

Passagens aéreas da Azul e Avianca vão custar até R$ 999 na Copa do Mundo

A Avianca seguiu a estratégia da Azul; Anac precisa autorizar ações


postado em 14/01/2014 15:44 / atualizado em 14/01/2014 17:29

A Avianca também anunciou, nesta terça-feira, a mesma estratégia da Azul Linhas Aéreas de estabelecer o teto de R$ 999 nas passagens aéreas domésticas durante a Copa do Mundo. A tarifa máxima da Avianca vai vigorar de 1º de fevereiro até 31 de julho e, a tarifa da Azul até dois dias depois do mundial. Os bilhetes da Avianca estarão disponíveis nos canais de venda a partir do dia 16 deste mês e os da Azul já podem ser encontrados no site da companhia.

Durante os jogos, a Azul disponibilizará aproximadamente 600 voos extras, que vão atender os 12 destinos onde serão sediados os jogos. Para os jogos mais procurados, a Azul vai oferecer ainda voos extras nos dias anteriores e posteriores aos eventos.

Os voos da Avianca incluem escalas, e vão atender 22 destinos nacionais operados pela empresa nos 24 aeroportos. De acordo com o presidente da Avianca, José Efromovich a medida não foi pensada apenas para a Copa. Ela é válida ainda para todos os principais feriados prolongados e eventos brasileiros, como Páscoa, Tiradentes, Dia do Trabalho, Dia das Mães, Namorados, férias de julho – além  do Carnaval e período da Copa.


“Queremos  beneficiar o que temos de mais valioso, que é nosso cliente, e retribuir a confiança das autoridades do setor aéreo. Nosso objetivo é criar condições para que mais brasileiros possam voar,  com tarifas sempre justas e contando com o melhor produto oferecido dentro do mercado brasileiro da aviação”, afirma.

Durante a validade do novo teto de preço, a Avianca manterá a política de preços e promoções e os descontos por compras antecipadas. "A Avianca alia preço por um período prolongado à reconhecida qualidade de seus serviços", completa Efromovich.

Em 2014, com a chegada de novos aviões, a Avianca projeta 19% de aumento na oferta de assentos. Os 430 voos extras, solicitados à Anac, reforçarão as operações existentes nos destinos-sede da Copa operados pela empresa.

Na última quinta-feira, a Azul apresentou ao governo o plano de tarifas da empresa para a Copa. Em nota da Casa Civil, a ministra Gleisi Hoffmann afirmou que, para o governo, é fundamental saber que haverá equilíbrio no setor aéreo no período da Copa. "A atitude da Azul é colaborativa com a realização da Copa e com país, mas sobretudo é respeitosa com os consumidores", diz o comunicado. Após a aprovação da Anac, as companhias divulgarão os horários dos voos aprovados.





 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade