Publicidade

Estado de Minas SEU BOLSO

Experts ensinam como ter um casamento com saúde financeira

Especialistas mostram como evitar as armadilhas do início da vida a dois e garantir equilíbrio nas contas e na relação


postado em 22/09/2013 07:00 / atualizado em 22/09/2013 07:59

Carolina Mansur


Amanda Abreu e Tiago Silva ganharam de presente de casamento a orientação financeira que vai facilitar o sucesso da união(foto: MARCOS VIEIRA/EM/D.A PRESS)
Amanda Abreu e Tiago Silva ganharam de presente de casamento a orientação financeira que vai facilitar o sucesso da união (foto: MARCOS VIEIRA/EM/D.A PRESS)
Setembro, o novo mês preferido pelas noivas de Belo Horizonte, passou a ser também um mês de novas preocupações. Afinal, formar uma nova família significa sair de casa e abandonar uma estrutura emocional e financeira consolidada. Hora de, muitas vezes, comprar um imóvel e de administrar as próprias despesas em conjunto com o parceiro. Embora essa não seja uma conversa tão romântica quanto a que escolhe o local do casamento, ela é determinante para a vida do casal.

De acordo com pesquisas como a da North Carolina State University, dos Estados Unidos, 80% dos jovens casais se divorciam antes dos 30 anos por problemas financeiros. De olho nisso, os life coaches Sabrina Oliveira e Flávio Mesquita, desenvolveram um processo de treinamento para os novos casais, com oito encontros específicos para os noivos planejarem o casamento e a vida juntos. “Além da procura pelos noivos, muitos padrinhos e parentes presenteiam os noivos com o coaching”, conta Sabrina.

A nutricionista Amanda Alves de Abreu e o professor Tiago Felipe da Silva estão com o casamento marcado para o ano que vem e ganharam de presente esse curso. Amanda conta que com o treinamento ela e o noivo aprenderam a definir as prioridades para o casal. “Muitos amigos casados nos falam que os dois primeiros anos são mais instáveis financeiramente, e ao contrário da maioria, não quisemos festa”, lembra.

Como resultado das conversas, o casal abriu mão da festa e vai oferecer um jantar para os padrinhos um dia antes do casamento, além de optar por passar a lua de mel no país. “Fizemos nossas escolhas dentro do que podemos pagar”, conta Tiago. Amanda diz que depois de tomada a decisão  ficou mais fácil fazer os orçamentos e se preparar para o grande dia. “Não sinto o nervosismo das outras noivas”, lembra.

O corretor de seguros Henrique Ramos de Castro e a assistente em recursos humanos Mariana Fraga Teles fizeram o planejamento que acreditavam ser necessário para o casamento acontecer. Segundo a noiva, ela tem o perfil mais “poupador”, enquanto o noivo é mais “gastador”. “Diante disso, eu equilibro os gastos com o objetivo de não nos endividarmos”, comenta Mariana. Henrique acredita que as despesas devem ser acertadas no dia a dia. “Vamos dividir as contas, como já fazemos, com tranquilidade”, diz.

Para esses casais, Sabrina e Flávio destacam, num primeiro momento, conversas sobre os sonhos. “Eles são extremamente importantes e é muito comum que um dos parceiros desvalorize o sonho do outro por uma questão financeira. Isso pode gerar frustração”, comenta Sabrina. É importante também fazer uma lista do que é importante para cada um nesse processo. Vale considerar a cerimônia, o destino da lua de mel e o tipo de moradia. Fazer orçamentos dos serviços a serem contratados e fazer escolhas juntos também é importante.

Entre os cuidados dessa nova fase, Flávio Mesquita destaca, principalmente, aqueles para evitar a compra irresponsável de um imóvel. “Muitos casais pensam que alugar é jogar dinheiro fora, mas não percebem que o dinheiro dos juros de um financiamento vão para o mesmo lugar.”

TAREFAS DO LAR

As atividades de casa também merecem a atenção dos novos casais. De acordo com Sabrina, como a maioria não realiza as tarefas domésticas, muitos consideram que continuarão assim depois do casamento. Para esses casos é preciso contratar uma empregada. “Considerando que a média das empregadas recebem um salário mínimo e meio, quando adicionados FGTS e INSS, o desembolso final será entre R$ 1.220 e R$ 1.627”, afirma. Além disso, é preciso pagar as férias, 13º salário e arcar com possíveis licenças, que representam mais custos. “Isso deve ser conversado e definido antes do casamento”, afirma.


Para Carlos Eduardo Costa, consultor do site de educação financeira do Mercantil do Brasil,  falar sobre finanças desde o namoro é tão importante quanto conversar sobre outros assuntos. “É pior quando esse conhecimento vem ao longo do casamento, com problemas e até separação.” Para ele, a educação financeira para novos casais sempre passará por escolhas. “Não é interessante começar a vida a dois com dívidas. Isso pode refletir em uma mudança de padrão de vida, tendo que evitar passeios, o que pode fazer com que o casamento pareça ruim”, aconselha.

 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade