Publicidade

Estado de Minas

Gasto público levanta PIB


postado em 26/02/2013 06:00 / atualizado em 26/02/2013 06:52

Não fosse a gastança do governo em 2012, o desempenho da atividade econômica teria sido ainda mais decepcionante. Na sexta-feira, quando o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgar o Produto Interno Bruto (PIB) do ano passado, as despesas do setor público devem figurar com destaque. Segundo projeções da Fundação Getulio Vargas (FGV), será a primeira vez que o consumo do governo superará o das famílias em um ano – esse avanço, porém, não foi impulsionado por investimentos, segmento que provavelmente chegou ao fim do ano com mais uma queda, a sexta retração seguida caso os números se confirmem.

Pelos dados da FGV, enquanto os gastos públicos cresceram 3% em 2012, os das famílias avançaram menos, 2,9%. Apesar do aumento das despesas públicas, os investimentos no passado encolheram 1,1 ponto percentual – caíram de 19,3% do PIB para 18,2%. No mercado, os mais pessimistas projetam um tombo ainda maior, para aproximadamente 17%. Economistas consideram, no entanto, que o pior momento para a atividade econômica passou. “Ainda assim o país ainda não conseguiu atingir um ritmo consistente de retomada nos primeiros meses de 2013”, observou Mauro Schneider, economista-chefe da corretora CGD Securities. Para 2012, tanto a FGV quanto o Itaú Unibanco estimam que o PIB brasileiro tenha crescido em torno de 0,9%. Já a Austing Rating espera que chegue a 1,1%.

Nessa segunda-feira, dados do boletim semanal Focus, publicação na qual o Banco Central reúne as expectativas de cerca de 100 analistas, também indicaram que o mercado está um pouco mais otimista com 2013: o mercado passou a esperar mais crescimento e menos inflação. A projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 5,70% para 5,69%, a segunda queda consecutiva. Para o PIB houve um aumento das previsões de 3,08% para 3,10%.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade