Publicidade

Estado de Minas

Produção de gás no Velho Chico ocorrerá em 2013

Retirada do insumo na Bacia do São Francisco, em escala pré-operacional, deve começar na região de Morada Nova


postado em 06/12/2012 00:12 / atualizado em 06/12/2012 08:19

As prospecções de gás natural na porção mineira da Bacia do São Francisco entram numa etapa mais refinada de avaliação do potencial das reservas e preparação para o início da produção do insumo no ano que vem. O consórcio Cebasf, constituído pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), Orteng Equipamentos e Sistemas, Delp Engenharia e Imetame, define nos próximos 15 dias os contratos com os fornecedores de equipamentos que vão trabalhar na retirada dos primeiros volumes de gás, em escala pré-operacional em 2013. A petroleira Shell concluiu em maio a aquisição de dados de sísmica e começa a perfurar um poço no estado a partir de janeiro.

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) iniciou esta semana as obras de seu primeiro poço em Ibiaí e pediu o licenciamento para outra perfuração na região de Várzea da Palma. O grupo Petra Energia avançou neste mês nos trabalhos de um poço em Patos de Minas, no Alto Paranaíba, e escolheu novas áreas para trabalhar no início de 2013 nos municípios de Corinto, Morro da Garça, Lassance e Santa Rosa da Serra. A almejada produção na Bacia do Velho Chico é considerada uma redenção econômica em pelo menos uma dezena de municípios do Noroeste e Norte de Minas e do Alto Paranaíba.

A expectativa do governo estadual é de que até o fim de 2013 as operadoras dos 39 blocos licitados em Minas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) tenham a confirmação da ocorrência de gás, do tamanho das reservas e da qualidade do insumo, informou ontem a secretária de Estado do Desenvolvimento Econômico, Dorothea Werneck. Com a política de planejar a oferta do combustível com as empresas, a secretaria está trabalhando na definição de uma regulamentação própria do estado no que se refere à tributação e distribuição e estuda a criação de um centro de tecnologia e capacitação na área do gás (CTCGás), provavelmente em parceria com a Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop).

Escala comercial em 2014

O gás descoberto pelo consórcio Cebasf em Morada Nova de Minas é do tipo não convencional – o chamado tight gas encontrado em rochas de baixa porosidade –, mercado disputado no mundo pelos Estados Unidos e a China. Especialistas do setor estimam entre R$ 10 milhões e R$ 15 milhões o custo de abertura de cada poço, que permite avaliar o tamanho das reservas e traçar planos de exploração.

“A cada dia estamos mais entusiasmados com os resultados dos trabalhos e nos aproximando da etapa de produção”, afirma o presidente do consórcio Cebasf, Frederico Macedo. Os fornecedores selecionados pelo grupo vão executar a tarefa de fraturamento, um processo que faz aumentar a vazão do poço, para que o insumo comece a ser captado. A produção comercial do combustível está prevista para 2014.

A Petra Energia informou ter reiniciado no último dia 6 a perfuração de um poço em Patos de Minas, região onde concentrou seus trabalhos neste ano. Dona de 24 blocos exploratórios na Bacia do São Francisco, envolvendo 103 municípios mineiros, a empresa tem 13 poços perfurados e/ou concluídos e dois em perfuração. O diretor de Logística e Infraestrutura da Petra, Francisco Solano, informou recentemente ao Estado de Minas que a intenção é produzir gás na porção mineira do Velho Chico, no mais tardar, em 2016.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade