Publicidade

Estado de Minas

Falta gasolina nos postos Petrobras

Postos da bandeira Petrobras enfrentam racionamento do combustível em BH, causando transtornos aos motoristas


postado em 05/10/2012 06:00 / atualizado em 05/10/2012 06:44

A uma semana do feriado prolongado de 12 de outubro, quando muitos moradores de Belo Horizonte vão viajar de carro para o litoral do país ou pelo interior de Minas Gerais, a Petrobras Distribuidora raciona a entrega de gasolina nos postos da rede BR na capital. O problema ocorre desde a última sexta-feira. Enquanto empresários do setor lamentam o prejuízo, motoristas temem que o transtorno seja a senha para novo aumento do preço do combustível nas bombas.

Em nota, a estatal informou apenas que “está trabalhando para regularizar no menor tempo possível o abastecimento de gasolina à rede de postos com sua bandeira na região de Belo Horizonte, que sofreu restrição pontual nos últimos dias. Além de carregamentos na Refinaria Gabriel Passos (Regap), em Betim, a BR está trazendo volumes dos pólos alternativos de Duque de Caxias (RJ) e de Mataripe (BA)”.

Questionada qual é a “restrição pontual nos últimos dias”, a companhia se recusou a esclarecer o assunto. Por sua vez, a nota sugere que o transtorno tenha ocorrido na Regap, uma vez que a Petrobras precisou trazer combustível do Rio de Janeiro e da Bahia. Já Leopoldino Martins, diretor do Sindicato dos Petroleiros de Minas Gerais (Sindipetro), disse que a produção na unidade de Betim não foi reduzida.

Para ele, as últimas administrações do governo federal não investiram nas refinarias nacionais no mesmo ritmo do aumento do poder aquisitivo do brasileiro, o que possibilitou mais pessoas a comprar o sonhado veículo próprio.

O racionamento de gasolina levou muitos donos de postos a pedir ajuda ao Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo do Estado de Minas Gerais (Minaspetro). A entidade solicitou esclarecimentos à Petrobras Distribuidora, mas também não obteve respostas convincentes. Enquanto isso, donos de postos da capital contabilizam prejuízos diários, pois, em muitos pontos de vendas, o combustível acaba antes do início da noite.

Prejuízo

“Todos os dias encomendo 45 mil litros de gasolina. Desde a última sexta-feira, porém, só recebo de 10 mil litros a 15 mil litros diários”, lamentou Antônio Carlos Ribeiro Ornelas, gerente do posto Duas Pátrias, no Bairro Santa Efigênia. O proprietário do BH, José Guilherme Costa, também reclama: “(A distribuidora Petrobras) está me entregando cerca de 50% do volume pedido”, criticou, acrescentando que nem todos os condutores optam pelo etanol na falta da gasolina. “O que fazer? Desde sábado que não recebemos o volume pedido”.

O taxista Vilmar Leite decidiu pela última opção. Na segunda-feira, ele foi ao Duas Pátrias pela manhã e se assustou ao ser informado de que a gasolina havia acabado. “Fui ao posto BH, na Avenida dos Andradas, no Centro. Advinhe? Lá também estava sem o combustível. Abasteci num posto no Bairro Cachoeirinha”, disse, afirmando que não se recorda “de ver uma ‘seca’ como a de agora nos postos BRs”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade