Publicidade

Estado de Minas

Energia limpa chega a Minas

Por meio da Renova, estado investirá na instalação de torres eólicas. Capitão Enéas teria firmado acordo para usina solar


postado em 15/06/2012 06:00 / atualizado em 15/06/2012 11:22

Oportunidades para a geração de energia limpa e renovável começam a dar os primeiros frutos no estado. A Renova Energia, braço de investimentos da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) no segmento, por meio da distribuidora carioca Light, iniciou estudos de prospecção do potencial em terras mineiras para a produção do insumo a partir dos ventos (geração eólica). O levantamento completou seis meses de trabalho na identificação de áreas da Região Central e do Noroeste mineiro, onde a empresa pretende instalar torres de medição, informou o diretor-presidente da Renova, Mathias Becker. Na semana passada, a Prefeitura de Capitão Enéas, no Norte, anunciou ter firmado protocolo de intenções com a chinesa Sky Solar para a construção de uma usina de eletricidade obtida da luz do sol na cidade de 14,7 mil habitantes.

Renova está instalando torres de energia eólica no estado baiano(foto: Divulgação/Renova )
Renova está instalando torres de energia eólica no estado baiano (foto: Divulgação/Renova )

Os trabalhos da Renova para medição da capacidade de geração eólica em Minas devem se estender por um ano, até que a empresa confirme a perspectiva de produção de 700 megawatts. Segundo o presidente da empresa especializada em fontes renováveis, a primeira companhia do setor a listar seu capital em bolsa, os levantamentos no estado deslancharam com a firme parceria da Cemig. A concessionária mineira aumentou sua participação na Light Energia no ano passado, de 26% para 32%, que, por sua vez detém 26,2% do capital total da Renova.

“Os olhos da Renova se abriram de maneira importante para Minas Gerais”, disse Mathias Becker. Ele acredita que uma vez confirmado o potencial de geração de energia eólica com o qual a empresa trabalha, o insumo poderá ser comercializado entre o fim do ano que vem e a primeira metade de 2014. Depois de identificar regiões propícias com base na consulta às mapas eólicos, a Renova determinou alvos, que prefere manter sob sigilo, onde iniciou a etapa de negociação para arrendamento de terras. Os próximos passos são a instalação de torres de medição e o construção do desenho de um parque eólico.

O interesse da Cemig no aproveitamento de fontes renovavéis decorre da própria dificuldade de aprovação de empreendimentos hidrelétricos, diante das exigências ambientais e das questões sociais, de acordo com o gerente de Alternativas Energéticas da companhia, Marco Aurélio Dumont Porto. “A demanda de energia aumenta na proporção do aquecimento da economia, portanto temos que criar alternativas para esse crescimento. Excluindo-se a energia eólica, que tem tarifas competitivas com a hidráulica, todas as demais fontes renováveis passam por um amadurecimento”, afirma o executivo.

A Renova já tem contrato firmado para fornecimento de 400 MW de energia eólica à Light Energia a partir de 2014. Investimentos orçados em R$ 1,2 bilhão estão sendo concluídos na montagem do primeiro complexo eólico na Bahia, que será o maior da América Latina. De acordo com Becker, as últimas sete torres de geração de energia, de um total de 184, serão concluídas até a semana que vem. A capacidade é de geração é de 294 MW.

O que nos interessa
Preservação do meio ambiente


Como fontes renováveis, as energias eólica e solar ajudam a preservar o meio ambiente e contribuem para a redução da dependência do país dos combustíveis fósseis, a exemplo do carvão e do petróleo, responsáveis por emissão de parte dos gases que causam o efeito estufa. A luz solar e o vento podem também ser usados em complementação às usinas hidrelétricas, com potencial já bastante aproveitado no país e em outras nações. Conforme estudos publicados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Brasil é privilegiado em ventos, que se caracterizam por uma presença duas vezes mais intensa que a média nacional. 

DE ONDE ELAS VÊM


» Geração eólica

 - É obtida da energia domovimento (cinética) gerada pela migração das massas de ar provocada pelas diferenças de temperatura na superfície.

 - A produção da energia ocorre a partir do contato do vento com as pás do cata-vento, equipamentos que compõem a usina. Quando giram, as pás dão origem à energia mecânica  que aciona o rotor do aerogerador e este produz a eletricidade.

- A quantidade de energia mecânica transferida nesse processo, quer dizer, o potencial para produção de energia elétrica, está relacionado à densidade do ar, à área coberta pela rotação das pás e à velocidade do vento.

» Geração solar

- Ao passar pela atmosfera, a energia solar se manifesta na forma de luz visível de raios infravermelhos e de raios ultravioleta. Os equipamentos usados é que definem se a transformação será feita como energia térmica ou elétrica.

- O sistema de painéis fotovoltaicos transforma a radiação solar em eletricidade diretamente. Todas as células fotovoltaicas têm, pelo menos, duas camadas de semicondutores. Quando a luz do sol atinge uma dessas camadas, o campo elétrico permite um fluxo eletrônico entre as duas placas, dando início à geração de energia na forma de corrente contínua.

- Quanto maior for a intensidade da luz, maior será o fluxo de energia elétrica. O sistema não precisa do brilho do sol para operar, funcionando mesmo nos dias nublados.

Fonte: Agência Nacional de Energia Elétrica

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade