Publicidade

Estado de Minas

Ale compra rede de combustíveis de Pernambuco

Distribuidora mineira volta às compras e fortalece presença no Nordeste. Empresa vai investir R$ 126 milhões este ano


postado em 21/03/2012 06:00 / atualizado em 21/03/2012 07:30

Depois de dois anos sem ir às compras a distribuidora de combustíveis Ale retomou a política de aquisições, incorporando a Ello-Puma, rede de 86 postos sediada em Recife, Pernambuco. A última compra da empresa foi registrada em 2008, quando adquiriu as redes Repsol, com atuação nos estados do Sul e Sudeste do país, e a Polipetro, presente em Santa Catarina. Sem divulgar os valores do negócio, a empresa informou que a aquisição faz parte do seu plano estratégico que prevê investimentos na ordem de R$ 126 milhões este ano. Ainda em 2012 a Ale planeja avançar no mercado adquirindo mais 87 postos. O objetivo é fechar o ano atingindo a marca de 200 novas revendas.

O mercado nacional é dominado por quatro grandes empresas, BR (Petrobrás), Ipiranga, Raizen (Cosan e Shell) e a Ale distribuidora, que é a quarta maior do país. "O mercado de combustíveis se caracteriza pelo atacado e cada vez mais as pequenas tendem a ser absorvidas pelas maiores. Esse movimento da Ale mostra que a empresa não está parada, esperando ser comprada", diz Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE).

Negócio envolve 86 postos da Ello-Puma e marca retomada da expansão (foto: Galuco Spindola/DP/D.A Press)
Negócio envolve 86 postos da Ello-Puma e marca retomada da expansão (foto: Galuco Spindola/DP/D.A Press)
Pelo plano de investimentos, a Ale vai ampliar em 30% a capacidade de sua base em Betim, além de inaugurar uma base em Guamaré, no Rio Grande do Norte, ainda em 2012. Motivaram a aquisição da rede sediada em Pernambuco o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da região, acima da média nacional, e projetos de peso, como a transposição do Rio São Francisco e a construção da Refinaria Abreu Lima, da Petrobras. "Com todos esses investimentos, há um crescimento do PIB e da renda, alavancando também o consumo de combustíveis que na região ganha benefícios logísticos", diz Cyro Souza, vice-presidente da ALE. Segundo o executivo, a empresa que passou por um período de acomodação, retomou a política de expansão. "Temos mais negócios previstos para este ano", garantiu.

Os postos adquiridos ontem estão localizadas em 60 cidades nas regiões Nordeste, Centro-Oeste e também Sudeste. A maior concentração, perto de 75%, está em Pernambuco e Paraíba. Cerca de 5% do total de postos está em Minas Gerais, distribuídos pela Região Metropolitana de Belo Horizonte e interior do estado.

Eficiência O presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), Alísio Vaz, diz que a escala traz maior eficiência, com redução de custos para as atividades que trabalham com o atacado. De acordo ele, mesmo com o grande peso dos gigantes, o mercado nacional deve ter espaço para as distribuidoras de menor porte. "Essas devem buscar escala na sua região de atuação. Para conseguir competir devem ter ação especializada em uma determinada área."

Com a aquisição, a ALE vai passar a comercializar e distribuir cerca de 8 milhões de litros de combustíveis a mais por mês. O fornecimento às revendas Ello-Puma e aos grandes consumidores (empresas de transporte de passageiros e de cargas, fazendas e embarcações), atendidos atualmente pela distribuidora pernambucana, será feito a partir das bases de armazenagem da ALE alocadas em diversos estados do país. A Ale possui uma rede de cerca de 1,8 mil postos em 22 estados brasileiros. Em 2011, o faturamento da companhia atingiu R$ 8 bilhões. A previsão para este ano é chegar a R$ 8,5 bilhões.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade