Publicidade

Estado de Minas

Foxconn vai instalar fábrica na Grande BH

Unidade industrial para produção de telas de cristal líquido (LCD) em parceria com o grupo EBX, com investimentos de US$ 2,5 bilhões, será implantada no estado


postado em 17/02/2012 06:00 / atualizado em 17/02/2012 07:34

Parte do iPad de Eike Batista será fabricada na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), segundo fontes ligadas ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). O empresário anunciou que a fabricação de telas de display líquido (LCD) será sediada em Minas Gerais, em parceria com a taiwanesa Foxconn, que produz os tablets da Apple. A gigante asiática, que já havia confirmado uma linha de produção em Jundiaí, no interior de São Paulo, não comenta as declarações de Batista. O Vetor Norte da RMBH já foi, segundo o prefeito de uma das cidades da região, definido pelo governo para atrair a fábrica. “Ribeirão das Neves, Confins ou São José da Lapa são as candidatas mais fortes”, diz a fonte.

A região metropolitana tem posição privilegiada para atrair o empreendimento, cuja instalação depende, por exemplo, de distância da costa, combinada com facilidade de logística. Os componentes usados na fabricação de displays sensíveis ao toque são circuitos eletrônicos também sensíveis à umidade. “É muito provável que alguma cidade da RMBH receba o empreendimento, devido à proximidade com o aeroporto e a abundância de universidades formadoras da mão de obra especializada, que é essencial ao negócio”, disse a fonte.

Episódio marcante na novela em que se transformou a instalação das novas fábricas da Foxconn no país foi o atraso no cronograma inicialmente divulgado pelo governo. Não faltou ministro apostando que em setembro já haveria iPad brasileiro. A carência de mão de obra foi um dos principais entraves, além de complicações de licenciamento em Jundiaí.

(foto: REUTERS/Stringer )
(foto: REUTERS/Stringer )
Sabe-se que três ou quatro plantas fabris fazem parte do plano de investimentos da companhia no país, que deve superar, até 2019, US$ 12 bilhões. A presença da companhia com as novas fábricas no país deve gerar cerca de 100 mil empregos diretos, desses, 20 mil para engenheiros e 15 mil técnicos. A Foxconn tem 1 milhão de funcionários em todo o mundo, fatura US$ 100 bilhões e exporta US$ 86 bilhões.

A EBX, de Eike, não confirma qual cidade deverá receber a fábrica, com os investimentos de US$ 2,5 bilhões anunciados pelo presidente do grupo, mas fontes do MDIC, ligadas às negociações do governo com a companhia, confirmam que a RMBH já foi sobrevoada por executivos da empresa taiwanesa e que está à frente na disputa. O número indicado por Eike, contudo, é inferior aos US$ 4,1 bilhões inicialmente estimados para investimento em cada uma das fábricas.

Negociação direta com o governador


Por meio de nota, o governo do estado confirmou que “existe um processo de negociação, no momento coordenado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para que a empresa taiwanesa Foxconn instale uma unidade no estado”. O banco confirma, mas declina do comentário a respeito da localização específica da fábrica. “É um assunto de alto escalão, porque o salto industrial de investimentos nesse setor seria o equivalente ao que a indústria automobilística representou no Brasil dos anos 1960”, comenta uma das fontes que acompanharam os bastidores das conversas entre Eike e o governo estadual. Outra pessoa ligada à movimentação contradiz o BNDES e indica que o estágio da conversa é avançado: “O governador pilotou pessoalmente todas as negociações, fez um grupo que atuou diretamente com ele. Minas ganhou muito”.

Na visita da presidente Dilma à China, em abril do ano passado, o diretor-executivo da Foxconn havia prometido que as unidades da empresa já existentes no país fabricariam iPads até o fim do ano passado. O procedimento saiu do planejamento da empresa, cuja assessoria de imprensa no Brasil já descartou, por exemplo, a possibilidade de a unidade da companhia em Santa Rita do Sapucaí, no Sul do estado, produzir o equipamento. A planta é dedicada à fabricação de placas que alimentam computadores da HP.

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade