Publicidade

Estado de Minas

Empresas aceleram corrida pelo gás natural em Minas

Petra, Cisco e Petrobras intensificam pesquisa no Velho Chico


postado em 09/06/2011 06:00 / atualizado em 09/06/2011 06:14

A Petra Energia começa nesta sexta-feira a perfurar um poço a 16 quilômetros de Corinto, na Região Central de Minas, a 220 quilômetros de Belo Horizonte, em busca de jazida de gás natural na Bacia do Rio São Francisco. O anúncio foi feito nessa quarta-feira, um dia depois de a Cisco Oil & Gás, do Grupo UBX, informar que pediu licença para perfurar um poço de prospecção de gás em Morada Nova de Minas. A Petra investirá cerca de US$ 10 milhões e espera encontrar a jazida entre 2,5 mil metros e 3 mil metros abaixo do solo. O trabalho deve ser finalizado até o fim de julho, quando poderá ser apurado o tamanho da reserva e a viabilidade da exploração da matéria prima. Esse é o primeiro dos 10 poços que a empresa vai perfurar na Bacia do Velho Chico – os outros nove não foram divulgados pela Petra. A Cisco não revelou detalhes do investimento em Morada Nova de Minas. O poço de Corinto é o quarto a ser perfurado na área do Velho Chico.

Na corrida pelo gás natural de Minas, a Petrobras revelou que pediu à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biogás (ANP) autorização para abrir o terceiro poço de pesquisa no estado. O gerente-executivo de Exploração da estatal, Mário Carminatti, lembrou que depois de constatar “boas indicações de presença de gás” no primeiro poço, perfurado em Brasilândia de Minas, a empresa iniciou a abertura do segundo poço, denominado Amós, no município de João Pinheiro. “Já temos o compromisso com a ANP de perfurar também o terceiro, não necessariamente nesses dois municípios”, declarou Carminatti, sem revelar o local exato da perfuração. Além das três empresas, o consórcio Codemig/Ortemg/Delp/Imetame pesquisa há mais de um ano a ocorrência de gás em Pindaíbas, distrito de Morada Nova de Minas.

A Petra Energia foi criada pelo grupo pernambucano STR, do ramo de mineração, para explorar jazidas de gás e petróleo. A empresa, com 9% de participação da BTG Pactual, venceu a licitação do 7º lote, ocorrida em 2005. Seis anos depois, montou um canteiro de obras de 10 mil metros quadrados. As peças da sonda que vai perfurar a terra foram transportadas em 52 carretas. O investimento da Petra no município, de 24 mil habitantes, reforça os bons ventos que sopram a favor da Bacia do São Francisco.

Expectativa boa

“A expectativa é muito boa para a economia da cidade. Uma pousada já foi construída e restaurantes estão ampliando o número de funcionários. Tudo acontece muito rápido”, comemora o prefeito, Nilton Ferreira da Silva. “A corrida pelo gás no São Francisco atrairá grandes investimentos, como a (possibilidade de) implantação de duas termelétricas, orçadas em US$ 1,25 bilhão”, acrescenta Gil Pereira, secretário de Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan).

Pereira se reuniu com diretores da ANP e da Petrobras, na terça-feira, no Rio de Janeiro. No encontro, o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, Guilherme Estrella, considerou que são “bastante positivas” as indicações de gás natural da porção mineira da Bacia do São Francisco. Ele não revelou, no entanto, os resultados da prospecção em Brasilândia de Minas. A estatal deverá perfurar nove poços na Bacia do Velho Chico em Minas. A estatal reforçou que, em 2012, o governo federal irá licitar 12 blocos para a exploração do insumo na porção mineira do São Francisco, mas as áreas ainda não foram informadas ao governo do estado.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade