UAI
Publicidade

Estado de Minas CINEMA

Banheiro público japonês será o astro do novo filme de Wim Wenders

'É um lugar onde todo mundo é igual. Não existe rico ou pobre, velho ou jovem', diz o cineasta, que pretende abordar o papel social de espaços comunitários


24/05/2022 04:00 - atualizado 23/05/2022 22:11

Banheiro público redondo e moderno instalado em rua de Shibuya, distrito de Tóquio
Banheiro na rua de Shibuya, distrito de Tóquio (foto: Behrouz Mehri/AFP)

Wim Wenders está fazendo um filme sobre banheiros públicos de alto padrão no Japão, que terá o que o renomado diretor alemão chama de “significado social” sobre as pessoas nas cidades modernas. “Devo admitir, minha primeira reação foi: O quê? Banheiros? Chotto mattene”, contou ele, usando a expressão japonesa para “espere aí”. Porém, passou a analisar o que a história poderia render.

“Para mim, eles se transformaram de banheiros comuns em banheiros de espaços públicos. Essa é uma palavra muito bonita em inglês, ‘restroom’ (banheiro público). Quando vi esses lugares nos dias seguintes, percebi que eram banheiros públicos no verdadeiro sentido da palavra”, afirmou Wenders a repórteres no elegante distrito de Shibuya, em Tóquio, onde há 12 banheiros públicos.
O cineasta Wim Wenders, de lado e sorrindo, ergue as mãos para o ator Koji Yakusho, que também sorri
Wim Wenders e o ator Koji Yakusho durante evento, em Tóquio, que anunciou o novo longa do diretor alemão (foto: Behrouz Mehri/AFP)

LIMPINHO

As instalações foram projetadas por arquitetos de renome, como Kengo Kuma e Tadao Ando, com a ideia de que um banheiro público agradável pode contrariar a expectativa comum de que deveria ser imundo, cheio de pichações ou associado ao crime.

Wenders contou que quando viu os banheiros de Shibuya, ficou emocionado. “Este é um lugar verdadeiramente precioso”, comentou.

O herói do filme será um trabalhador de saneamento que limpa banheiros, para quem esse trabalho é um ofício voltado para as pessoas. Os detalhes do roteiro ainda estão sendo elaborados.

O ator Koji Yakusho, conhecido por interpretar cidadãos japoneses comuns nos filmes “Dança comigo?” e “Babel”, aceitou o papel assim que lhe foi oferecido porque queria trabalhar com Wim Wenders.

“Tenho a sensação de que será uma bela história. Sinto que uma história que tem o banheiro como cenário, com a pessoa que trabalha lá e as pessoas que o usam, ajudará a entender o Japão”, afirmou Yakusho.

O projeto The Tokyo Toilet foi inicialmente concebido para impressionar os visitantes estrangeiros esperados para a Olimpíada de Tóquio de 2020, antes que a pandemia de coronavírus eliminasse os espectadores das arquibancadas.

"Uma história que tem o banheiro como cenário, com a pessoa que trabalha lá e as pessoas que o usam, ajudará a entender o Japão'

Koji Yakusho, ator



O banheiro público projetado por Ando é redondo, com estruturas para o lado externo que permitem a circulação do ar. É limpo sem água para evitar mofo ou deterioração, tarefa desempenhada por homens vestidos de macacões azuis assinados pelo estilista japonês Nigo.

O projeto, incluindo o filme de Wenders, tem apoio da Fast Retailing, empresa por trás da cadeia de roupas Uniqlo e da The Nippon Foundation, que realiza programas humanitários usando rendimentos de corridas de barco.
O arquiteto Tadao Ando, com as mãos cruzadas, diante de banheiro público de Tóquio projetado por ele
O arquiteto Tadao Ando diante da instalação pública projetada por ele (foto: Behrouz Mehri/AFP)

UTOPIA

Wenders informou que seu novo filme vai explorar um conceito profundo. “Quase acho uma ideia utópica, porque banheiro é um lugar onde todo mundo é igual. Não existe rico ou pobre, velho ou jovem. Todo mundo é parte da humanidade”, afirma o cineasta.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade