UAI
Publicidade

Estado de Minas AUDIOVISUAL

Festival Varilux promete o melhor do cinema francês nas salas de BH

Dezenove filmes serão exibidos a partir desta quinta-feira (25/11), retomando a agenda presencial após as sessões on-line de 2020, devido à pandemia


25/11/2021 04:00 - atualizado 25/11/2021 07:46

Os atores Sami Outalbali e Zbeida Belhajamor contracenam numa biblioteca, no filme 'Um conto de amor e desejo'
Sami Outalbali e Zbeida Belhajamor no filme 'Um conto de amor e desejo' (foto: Varilux/divulgação)
Com exibições em salas de 50 cidades brasileiras, o Festival Varilux de Cinema Francês apresenta 19 filmes realizados em 2020 e 2021 no país europeu. “A gente costuma apresentar o melhor de um ano de produção, agora estamos trazendo o melhor de dois anos”, afirma Christian Boudier, curador do evento.

Boa parte dos filmes é inédita no país e chega ao Brasil após percorrer o circuito de renomados festivais europeus. Um dos destaques é “Ilusões perdidas”, dirigido por Xavier Giannoli, inspirado no clássico de Honoré de Balzac. Benjamin Voisin vive o protagonista Lucien.

Também vem chamando a atenção “Um conto de amor e desejo”, dirigido por Leyla Bouzid, sobre o despertar sexual, por meio da poesia erótica, de um jovem casal de origem árabe.

Destaca-se a atuação sensível de Sami Outalbali, o Rahim da série “Sex education”, e de Zbeida Belhajamor. Os dois atores vieram ao Rio de Janeiro e a São Paulo participar de sessões do longa.



Em Belo Horizonte, o festival será realizado a partir desta quinta-feira (25/11) no UNA Belas Artes, Cinemark Pátio Savassi, Cineart Ponteio e Cine Theatro Brasil Vallourec. Juiz de Fora também exibirá os filmes franceses.

Christian Boudier afirma que BH é a cidade onde há mais interessados no cinema francês no país, depois do Rio de Janeiro e de São Paulo. De acordo com o curador, o maior desafio desta edição do festival é reconquistar o espaço perdido durante a pandemia para as plataformas de streaming.

O Varilux reduziu sua presença de 120 cinemas em 86 cidades, em 2019, para 95 salas em 50 cidades, este ano. Em 2020, a versão on-line mobilizou cerca de 700 mil espectadores no país, mas Boudier considera essencial o processo de socialização inerente às sessões presenciais de cinema.

A edição deste ano presta homenagem ao ator Jean-Paul Belmondo, que morreu em setembro, aos 88 anos, com a exibição do clássico “O magnífico” (1973), dirigido por Philippe de Broca. Belmondo interpreta um escritor de romances de espionagem que desperta o interesse de uma estudante inglesa.

Outro clássico da programação é “As coisas da vida”, de Claude Sautet, que ganhou a Palma de Ouro no Festival de Cannes, em 1970.

* Estagiário sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria

VARILUX EM BH

HOJE (25/11)

» Cine Theatro Brasil Vallourec 
“Caixa preta”, de Yann Gozlan, às 17h30. “Adeus, idiotas”, de Albert Dupontel, às 20h15.

» Cinemark Pátio Savassi
“Arthur Rambo, ódio nas redes”, de Arthur Rambo, às 18h. “Está tudo bem”, de François Ozon, às 21h.

» UNA Belas Artes
“Tralala”, de Jean Marie Larrieu, às 14h. “Madrugada em Paris”, de Elie Wajeman, às 16h20. “Um intruso no porão”, de Philippe Le Guay, às 18h10. “Enquanto vivo”, de Emmanuelle Bercot, às 20h30.

.Programação completa no site.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade