Publicidade

Estado de Minas SÉRIE

Protocolo pandêmico de 'The girlfriend experience' libera sexo sem beijo

Filmado durante o isolamento social, seriado teve set com zonas de segurança e personagens adaptados à era do coronavírus. Terceira temporada estreia domingo


30/04/2021 04:00 - atualizado 30/04/2021 07:17

Iris (Julia Goldani Telles) se divide entre a vida como garota de programa e o trabalho numa start up(foto: Ed Miller/divulgação)
Iris (Julia Goldani Telles) se divide entre a vida como garota de programa e o trabalho numa start up (foto: Ed Miller/divulgação)

Já se provou que é possível fazer filmes e séries durante a pandemia, ainda que o processo seja mais longo, oneroso e passível de interrupções. Agora, filmar uma história em que o sexo é ingrediente principal demanda outras questões. A terceira temporada de “The girlfriend experience”, que estreia domingo (2/5), na Starzplay,  foi rodada em Londres a partir de agosto de 2020. A produção contou com várias especificidades. 

A série de antologia (com histórias diferentes a cada temporada) produzida por Steven Soderbergh nasceu do longa “Confissões de uma garota de programa” (2009), dirigido por ele. A cada ano, a atração é focada na trajetória de uma mulher que alia sua vida profissional à de garota de programa.

START UP 
A nova temporada é protagonizada por Julia Goldani Telles, que interpreta Iris, estudante de neurociência que deixa a vida acadêmica para trabalhar em uma start up em Londres. Na nova cidade, ela se torna acompanhante de luxo.

Soderbergh utilizou uma lista de diretrizes para filmar com segurança em meio à pandemia. A Zona A era o perímetro em que os atores trabalhavam sem máscara. Na Zona B ficavam os membros da equipe que deveriam usar equipamentos de proteção individual (EPI). Quem estava na Zona B raramente ia à Zona A. Já a Zona C era o espaço que os profissionais frequentavam quando não estavam trabalhando. Só entrava nas zonas A e B quem tivesse sido testado e liberado nas 24 horas anteriores.

Para as cenas de sexo, Julia explica, houve até um profissional encarregado de coordenar as sequências mais íntimas. “Fizemos uma opção artística que também tem relação com a COVID-19. A personagem não beija ninguém na série. Ou seja, para ela, mais íntimo é o beijo na boca e não o sexo.”

Houve muita conversa antes de filmar as cenas de sexo. “Todos os envolvidos falaram das áreas onde não queriam ser tocados”, conta a atriz. “A maior parte dos atores homens comentou que foi a primeira vez que alguém pediu o consentimento deles para fazer uma cena de sexo.”

Iris é o primeiro papel de destaque de Julia, que tem 26 anos. Nascida em Los Angeles, ela é filha de uma brasileira com um mexicano. Veio para o Brasil com 1 ano e morou no Rio de Janeiro. Pouco tempo depois, voltou para os EUA.

“O português é a minha primeira língua. Como a minha mãe é do Rio Grande do Sul, me considero gaúcha. Cresci indo à fazenda dos meus tios no Sul, aquele período com vacas e galinhas faz parte das minhas memórias favoritas da infância”, diz ela, que passava todos os verões no Brasil antes de sua carreira decolar.

Para se preparar para o papel, Julia teve contato com uma profissional como a que interpreta. “É uma mulher incrível que tem emprego regular durante o dia e é namorada profissional à noite e nos fins de semana. Ela foi muito generosa e sabe compartimentar a vida dupla. Me impressionou muito, pois vê as duas atividades com o mesmo grau de importância.”

A cada temporada, Soderbergh convida uma cineasta independente para atuar como criadora, roteirista e diretora. Quem está no comando atualmente é a alemã Anja Marquardt, que recebeu o convite depois de Soderbergh assistir ao filme “Ela perdeu o controle” (2014), sobre uma terapeuta sexual.

DOENÇA 
O que leva Iris, estudante brilhante, a trocar a vida acadêmica pelo mundo high tech é a doença do pai, diagnosticado com Alzheimer. Acredita que pode ajudá-lo ao aliar seu conhecimento à alta tecnologia.

“Essa temporada é um pouco mais sci-fi do que as outras. A Iris é cheia de estratégias, tudo o que faz é muito calculado. Também é ambiciosa, gosta de dinheiro e de sexo, e não tem de se justificar por isso”, continua a atriz. Em dado momento, a personagem começa a questionar as próprias escolhas.

De acordo com Julia, “The girlfriend experience” trabalha questões recorrentes para muita gente: “o que é privado ou não na internet, como nossos dados pessoais são utilizados, o que sabemos ou não de tecnologia”. Segundo ela, para uma parte do público, o universo retratado pode ser excitante. “Para outros, amedrontador”, conclui.


>>  “THE GIRLFRIEND EXPERIENCE”
A terceira temporada da série, que terá 10 episódios, estreia no próximo domingo (2/5), na plataforma Starzplay. Um novo capítulo será exibido a cada domingo.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade