Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Tiago Mineiro lança 'Pode agradecer?' com participação de Wagner Tiso

Pianistas dividem duas faixas do álbum solo de estreia do músico de Alfenas, radicado em São Paulo. Disco é inspirado nas tradições da Folia de Reis


09/03/2021 04:00 - atualizado 09/03/2021 07:07

Radicado em São Paulo, Tiago Mineiro quis fazer uma viagem pelo interior de Minas com seu disco de estreia exaltando a folia de reis(foto: Fernanda Kirmayr/Divulgação)
Radicado em São Paulo, Tiago Mineiro quis fazer uma viagem pelo interior de Minas com seu disco de estreia exaltando a folia de reis (foto: Fernanda Kirmayr/Divulgação)

Juntar a tradicional música instrumental a boas doses de mineirice e o tema folia de reis, festa religiosa popular bastante tradicional no Sul do estado, é o propósito do músico Tiago Mineiro. Natural de Alfenas e radicado em São Paulo há 16 anos, o pianista e compositor está lançando seu álbum de estreia, “Pode agradecer?”, que contou com a participação especial de Wagner Tiso nas faixas “Estrada Geraes” e “Cortando jaca”.

Tiago explica que a ideia do disco é fazer uma viagem pelo interior de Minas Gerais e por sua carreira, que conta com a gravação de mais de 40 CDs e DVDs de artistas como Tony Tornado, Cláudya, Jane & Herondy, Edu Falaschi, Made in Brazil e o conterrâneo Landau, irmão de Sideral e Rogério Flausino (Jota Quest).

O pianista esclarece que, nesse trabalho, procurou trazer ao ouvinte uma viagem pelos lugares que viveu e pela musicalidade que sempre fez parte de sua vida. “A primeira música ao vivo que me lembro de ter ouvido foi de folia de reis que passou na porta da minha casa. Essa lembrança é forte e, por isso, fiz questão de trazê-la em um momento delicado em que a luta para manter nossa cultura viva mostra-se cada vez mais difícil.”

Tiago, que também é artista plástico, vem realizando trabalhos voltados à divulgação da cultura da folia de reis por meio de quadros e ilustrações que podem ser vistos no site www.companhiadereis.com.br. Ele conta que estudou piano com Marcos Valério, irmão do compositor e pianista Wagner Tiso.

“Ele foi meu primeiro professor. Então, cresci com aquela referência do Wagner, aquele tipo de música e conhecendo de perto o trabalho dele. E era um sonho de criança gravar alguma coisa com ele. Ficava pensando, quem sabe um dia consiga realizar o meu sonho? Aconteceu que resolvi gravar agora um disco solo e achei que era a hora de convidá-lo.”

Ouça "Estradas Geraes":


O músico mineiro é diretor artístico do cantor Tony Tornado há mais de 12 anos e achou que era hora de se aventurar no trabalho solo. “Toco diferentes estilos musicais. Gravei um disco em 2016 com a cantora Claudya. Gravamos em duo, com composições nossas, o álbum independente 'Para sempre amanhecer'. E assim decidi gravar o meu primeiro álbum solo de música instrumental, que é a minha grande paixão.”

Tiago, cujo sobrenome verdadeiro é Tavares Fernandes, lembra que apelido de Mineiro lhe foi dado pelos paulistas, tão logo se mudou para São Paulo. “Sempre tive orgulho de ser mineiro e, por isso, decidi adotar o apelido que acabou pegando. Quando fui produzir esse disco pensei: 'depois de gravar com tantos artistas, por que não fazer a música que tenho dentro de mim?' Músicas que gosto e que sinto no meu coração de verdade. Por isso, dei-lhe o nome de 'Pode agradecer?'. Também porque essa frase foi a minha primeira referência de música ao vivo quando conheci uma companhia de Reis.”

O músico explica que a frase é uma referência que a folia de reis faz quando visita as casas dos devotos. “Ela chega, faz a oração e, no final, pergunta ao dono: ‘Tá satisfeito, patrão?’. Ele responde que sim, a folia então pergunta: ‘Pode agradecer?’. Aí, o pessoal reza e canta músicas de agradecimento. “Meu disco tem essa referência, uma frase que também utilizo com um agradecimento.”

Tiago conta que essa lembrança do contato da música por meio da cultura popular lhe marcou muito. “Cada vez mais me mostra a sua importância na sociedade e na formação do ser humano. Quis mostrar isso no álbum, principalmente falando de coisas mineiras que é essa temática da folia de reis que, com o passar dos anos, vem sofrendo forte influência estrangeira. De um modo geral, a nossa cultura vem tendo essa influência e o jovem acaba abandonando as tradições. Então, achei oportuno falar da folia de reis, exatamente para trazer esse mote de novo e discutir a preservação da nossa cultura.”

Como a ideia era fazer um disco sobre Minas Gerais, elementos mineiros e sobre folia de reis, mais especificamente do Sul de Minas que é a sua terra, Tiago achou que era a hora de convidar Tiso para participar com ele em duas faixas e assim realizar o velho sonho. “Embora toquemos o mesmo instrumento, conseguimos encontrar uma forma de gravarmos juntos. Ele assumiu o piano acústico e eu, o elétrico. Dividimos duas faixas. Foi um encontro fantástico de duas gerações, uma honra poder tocar com ele.”

O álbum traz nove faixas autorais, sendo que duas foram feitas em parceria: “Amigos”, com o guitarrista e compositor catarinense Mazin Silva; e “Estrada Geraes”, com o baixista e produtor musical Edu Malta, que ajudou a arranjar e produzir o disco. “Ele foi comigo até Alfenas, onde visitamos várias folias de reis, não só para aprendermos sobre os ritmos, mas também para tomarmos conhecimento sobre o rito e a fé. É praticamente impossível separar a fé da música e do rito. Caminhamos junto com eles para entender melhor essa relação.”

MAESTRO JOBIM 
Quando ficou sabendo que Tiso tinha aceitado o convite, Tiago e Edu decidiram compor especialmente a canção “Estrada Geraes” para que ele pudesse participar do disco. O álbum conta também com a participação de Tutuca, sobrinho de Milton Nascimento, afilhado de Wagner e um dos cantores do grupo Quarteto Sentinela. “Como disco é instrumental, o convidei para fazer vocalizações nas faixas “Os Bastião”, que é a canção mais folclórica do álbum, na qual toco acordeom, fazendo a levada que a folia de reis faz durante a sua caminhada e “Amigos”, música com uma pegada mais de jazz mineiro.”

"Inclusive, o piano que ele usou pertenceu a Tom Jobim. Foi muito forte a emoção de ver o maestro (Wagner Tiso) tocando em um piano que era de Jobim, algo extremamente mágico"

Tiago Mineiro, pianista



Tiago explica que resolveu misturar lembranças pessoais à folia de reis. “O álbum foi gravado em Jundiaí, porém, a gravação com Wagner foi no Estúdio Verde (RJ). Inclusive, o piano que ele usou pertenceu a Tom Jobim. Foi muito forte a emoção de ver o maestro tocando em um piano que era de Jobim, algo extremamente mágico. Mazin gravou violão e viola diretamente de Blumenau (SC), onde mora.”

Embora seja um álbum instrumental, Tiago garante que quis fugir daquela coisa de música para músico. “Eu o chamo de paisagem descritiva, pois quero que as pessoas o escutem e se sintam passeando pelo interior de Minas Gerais. E que também possam sentir todas as histórias, assim como as canções que têm algo pessoal.”

“PODE AGRADECER?”
Tiago Mineiro
Distribuição Tratore
Nove faixas
Disponível nas plataformas digitais

REPERTÓRIO

>> 1 – Dotô
>> 2 – Alfenas
>> 3 – Brigadoigualmente
>> 4 – Os Bastião
>> 5 – Amigos (Mazin Silva e Tiago Mineiro)
>> 6 – Cortando Jaca
>> 7 – Casa verde
>> 8 – Estrada Geraes (Edu Malta e Tiago Mineiro)
>> 9 – Curia


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade