Publicidade

Estado de Minas Saúde

Medicamentos para fertilidade não aumentam o risco de câncer de mama

Estudo recente do King's College London concluiu que medicamentos para fertilidade não aumentam o risco de desenvolver câncer de mama


23/09/2021 17:55 - atualizado 24/09/2021 14:16

None
(foto: Holding Comunicações / Divulgação )

 

Uma pesquisa do King´s College London, publicada em julho de 2021 na revista Fertility and Security, concluiu que o rotineiro uso de medicamentos de tratamento de fertilidade, usados para a liberação de óvulos, não aumentam o risco de desenvolver o câncer de mama.

 

A revisão analisou estudos de 1990 a janeiro de 2020, e mulheres de todas as idades reprodutivas foram incluídas na pesquisa e acompanhadas por uma média de 27 anos após seu tratamento de fertilidade.

 

Usados para estimular os ovários, esses medicamentos aumentam a produção do hormônio estrogênio e podem agir nas células da mama. Dito isso, o médico Rodrigo Rosa, especialista em reprodução humana, explica que “surgiu uma preocupação de que isso pudesse tornar as células cancerosas, o que leva a uma incerteza sobre o risco potencial de drogas para infertilidade causarem câncer de mama, mas o estudo relatou que não há esse risco”.

 

São diferentes tipos de tratamentos para fertilidade, que podem variar desde o uso de medicamentos até tratamentos mais complexos, como a fertilização in vitro, mas nenhum deles deve trazer preocupações para a mulher.

Rodrigo reforça que muito do medo, estresse e ansiedade associados ao tratamento de infertilidade estão enraizados na incerteza e que este foi o maior estudo realizado até agora, comprovando que estes tratamentos não trazem risco algum à saúde da mulher.

 

*Estagiária sob a supervisão da editora Teresa Caram  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade