Publicidade

Estado de Minas SAÚDE

Frio agrava doenças reumáticas?

Especialistas explicam que as temperaturas mais baixas pioram os sintomas das doenças, mas não agravam o quadro clínico. Entenda


08/07/2021 14:24 - atualizado 08/07/2021 14:48

(foto: Pixabay)

Com a chegada do inverno, brasileiros de várias partes do país têm sofrido com as baixas temperaturas. Um verdadeiro “frio de doer”, e não é à toa que pessoas diagnosticadas com doenças reumáticas, de fato, sentem mais dores nas articulações e certo agravamento nos sintomas.

Mas, isso significa que a patologia teve piora clínica? Não. São coisas bem diferentes e é mito que o frio é capaz de agravar as doenças reumáticas. O que ele faz é causar mais dores, apenas. 

E isso tem a ver com o fato de o corpo humano ter uma temperatura média em torno de 36 graus, o que significa que, quando a temperatura externa está mais baixa, o organismo precisa se adaptar.

“Para isso, há maior contração muscular, dos tecidos e dos tendões e constrição dos vasos sanguíneos para armazenar o calor no corpo”, explica Maria Fernanda Guimarães, vice-presidente da Sociedade Mineira de Reumatologia (SMR).

Nesse cenário, no caso dos pacientes reumáticos com acometimento das articulações, essas alterações para reter o calor podem levar a uma maior percepção de dor e mais dificuldade de movimentação. 

Porém, apesar de não haver agravamento da doença em si, no frio, com o então aumento das dores, a qualidade de vida dos pacientes acometidos pela doença reumática tende a cair, conforme Mariana Peixoto, presidente da Sociedade Mineira de Reumatologia (SMR). “Não há piora da doença, porém, como a dor está aumentada, a qualidade de vida cai e os pacientes acabam abandonando alguns hábitos, como atividade física e de lazer. E esse abandono, sim, pode causar impactos negativos na vida do paciente”, afirma a médica. 

A única coisa a fazer, segundo as especialistas, é aumentar o uso de analgésicos, sob cuidado e acompanhamento médico, para alívio das dores e tentar manter os hábitos de vida para que, assim, a doença não sofra, de fato, agravamento.

“É importante se manter ativo. Mesmo que o corpo esteja doendo, que você ache que está mais doente, você não está. Na verdade, as dores são maiores, mas é por causa das características mecânicas. É importante manter as atividades físicas, de preferências todos os dias, manter atividades de lazer, esportes ou hobbies, porque é muito importante cuidar da saúde física e mental.” 
 
(foto: SMB/Divulgação)

É importante se manter ativo. Mesmo que o corpo esteja doendo, que você ache que está mais doente, você não está. Na verdade, as dores são maiores, mas é por causa das características mecânicas. É importante manter as atividades físicas, de preferências todos os dias, manter atividades de lazer, esportes ou hobbies, porque é muito importante cuidar da saúde física e mental.

Mariana Peixoto, presidente da Sociedade Mineira de Reumatologia (SMR)

 

“Então, a recomendação é: lembre-se de cuidar da sua saúde física e mental, lembre-se de ter bons hábitos de alimentação, bons hábitos de vida, cuidado próprio, higiene do sono – dormir mais cedo, tirar as telas na hora de dormir –, pois uma boa noite de sono ajuda muito nos sintomas do dia seguinte e manter amizades mesmo que com encontros virtuais. E é essencial não deixa de procurar um médico. Nós, reumatologistas, estamos aqui para ajudar”, destaca Mariana Peixoto. 

Uma outra dica para os dias frios, conforme Maria Fernanda Guimarães, é que os pacientes reumáticos se mantenham protegidos contra o frio e se aqueçam com agasalhos apropriados, luvas e meias.

“Pode também utilizar banhos de água morna ou bolsas térmicas nas áreas doloridas. Outra coisa que é fundamental é manter a prática de atividade física como caminhadas, que promovem aquecimento e ajudam a lubrificar as articulações, reforçando os músculos que as sustenta. Também são importantes exercícios de alongamento para manter o tônus, a flexibilidade e a amplitude dos movimentos”, reforça a médica. 

DIAGNÓSTICO MAIS ‘FÁCIL’? 


Apesar da doença reumática não ser desencadeada e nem mesmo agravada pelo frio, em dias com temperaturas mais baixas, é possível que o diagnóstico do quadro clínico seja facilitado. Isso porque, com a maior sensibilidade a dor, a percepção pode estar aumentada.

“Às vezes, o paciente não tem o diagnóstico da doença, porque não foi ao médico procurar e investigar. Porém, com a chegada do frio, aumenta a intensidade dos sintomas e aí sim o paciente vai a procura de um médico e acaba fazendo o diagnóstico de uma doença reumatológica.” 

É importante se manter ativo. Mesmo que o corpo esteja doendo, que você ache que está mais doente, você não está. Na verdade, as dores são maiores, mas é por causa das características mecânicas. É importante manter as atividades físicas, de preferências todos os dias, manter atividades de lazer, esportes ou hobbies, porque é muito importante cuidar da saúde física e mental.

Mariana Peixoto, presidente da Sociedade Mineira de Reumatologia (SMR)



“Por isso, deixo um recado: não negligencie os seus sintomas. Se você sente alguma dor contínua que não melhora com o tempo, se está sentindo outra manifestação que está incomodando, não fique adiando a procura ao médico, porque isso pode atrasar o diagnóstico”, comenta a presidente da SMR. 

Maria Fernanda Guimarães completa: “A ajuda médica deve ser procurada quando o paciente apresenta dores articulares, especialmente pela manhã, associada à rigidez matinal – dificuldade de movimentar as articulações –, aumento de volume, calor local ou vermelhidão, que são sintomas característicos da doença reumática”. 

A DOENÇA REUMÁTICA  


Existem diversas doenças reumáticas com causas e tratamentos diferentes. Mas, “de forma geral, esse grupo de doenças costuma acometer o aparelho locomotor, como articulações, ossos, tendões e ligamentos”, segundo a vice-presidente da Sociedade Mineira de Reumatologia. Em sua maioria, conforme Mariana Peixoto, as doenças reumáticas são doenças autoimunes. 
 
(foto: SMR/Divulgação)

A ajuda médica deve ser procurada quando o paciente apresenta dores articulares, especialmente pela manhã, associada à rigidez matinal, aumento de volume, calor local ou vermelhidão, que são sintomas característicos da doença reumática.

Maria Fernanda Guimarães, vice-presidente da Sociedade Mineira de Reumatologia (SMR)


“As doenças autoimunes são doenças que o próprio organismo cria anticorpos contra ele mesmo. Habitualmente, o corpo cria anticorpo para combater agentes externos. Na doença autoimune, ocorre uma desregulação do sistema imunológico e passamos a criar anticorpos para atacar nós mesmos. Mas, as doenças autoimunes podem acometer todos os órgãos do organismo, como coração, pulmão, intestino, olho, boca, couro cabeludo, entre outras. As doenças reumáticas também podem ser de outra origem, como a fibromialgia, que ocorre por desregulação da percepção dolorosa no sistema nervoso central.” 

Nesse caso, a sintomatologia recorrente é dor. Haja vista a variedade de causas e tipos de doenças reumáticas, o tratamento vai depender da patologia em si e pode ser muito variável. 

*Estagiária sob a supervisão da editora Teresa Caram  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade