Publicidade

Estado de Minas beleza

Destaque no olhar

Uso de máscaras de proteção deixa os olhos mais expostos e, com isso, a atenção também se volta para as olheiras. Saiba o que fazer para evitá-las


08/11/2020 04:00 - atualizado 09/11/2020 14:35

(foto: Agência Bcbiz/Divulgação)
(foto: Agência Bcbiz/Divulgação)


Em tempos de pandemia, o olhar ganhou ainda mais destaque. Com o uso de máscaras de proteção, são os olhos que ficam mais expostos, com a missão de transmitir sensações e “falar” por si só. Porém, consequentemente, a atenção também se voltou para as olheiras.

E aí surge a dúvida: como evitá-las e/ou amenizar a aparência delas?. Mas, segundo a dermatologista especialista em cosmiatria e parceira da Belliz Luciana Garbelini, antes disso, é preciso entender o que são as olheiras, o porquê de elas aparecerem e os tipos.

Isso porque, de acordo com a especialista, dependendo das características da olheira os procedimentos adotados serão diferentes. Luciana, então, explica que as olheiras são manchas escuras localizadas nas pálpebras e que elas aparecem em decorrência de vasos que se tornam visíveis abaixo da camada fina de pele.

“Para se ter uma ideia, a pele do restante do corpo pode vir a ter cerca de dois milímetros de espessura, enquanto a pele da região dos olhos tem, em média, 0,5 milímetro. Por isso, essa área está mais favorável ao aparecimento de colorações escuras.”

Mas por que elas ocorrem? Conforme a dermatologista, os olhos são afetados pelas olheiras por diversos motivos, resultando no aparecimento de quatro tipos distintos de classificação da então “coloração escura abaixo dos olhos”.

A primeira delas é a olheira profunda, recorrente em pessoas com globo ocular naturalmente mais profundo. As causas, nesse caso, se dividem em três aspectos: genética, perda do preenchimento natural devido ao envelhecimento e perda extrema de peso.
 
 
A dermatologista Luciana Garbelini explica que as olheiras aparecem em decorrência de vasos que se tornam visíveis abaixo da camada fina de pele(foto: Agência Bcbiz/Divulgação)
A dermatologista Luciana Garbelini explica que as olheiras aparecem em decorrência de vasos que se tornam visíveis abaixo da camada fina de pele (foto: Agência Bcbiz/Divulgação)
 
 
“Já as olheiras vasculares podem apresentar tons azulados, arroxeados ou avermelhados e aparecem devido à má circulação do sangue depois de noites maldormidas. Enquanto isso, as olheiras pigmentares geralmente são identificadas pelos tons amarronzados e são mais frequentes em pessoas com excesso de melanina ao redor dos olhos. Por último, as olheiras mistas – o tipo mais comum – são aquelas que têm mais de uma causa e que, muitas vezes, estão associadas à genética, bolsas de gordura ou flacidez, acúmulos de vasos, entre outros”, descreve.

PREVENÇÃO 

Para deixar o olhar com um aspecto saudável, Luciana destaca que é possível, sim, evitar o aparecimento ou mesmo o agravamento das olheiras. Porém, segundo ela, cada um dos tipos recebe um cuidado e um tratamento distinto.

No caso das olheiras profundas, a dermatologista recomenda o suporte às pálpebras inferiores logo no aparecimento dos primeiros sinais de flacidez e remodelamento ósseo da órbita. “Geralmente, optamos pelo preenchimento com ácido hialurônico.”

As olheiras arroxeadas – as que aparecem em razão de noites maldormidas – podem ser prevenidas com a ativação da circulação no local e, também, claro, com noites de sono adequadas. Já a pigmentação de olheiras marrons, por depósito de melanina, geralmente tem uma forte influência genética.

Justamente por isso, Luciana destaca que os cremes despigmentantes ou tratamentos com laser podem ser iniciados assim que o escurecimento for percebido. “Outro fator é a congestão da região nasal, presente em pessoas com sinusite. O tratamento dessa patologia também auxilia bastante nos casos crônicos associados a olheiras”, pontua.

TRATAMENTO 

As olheiras estão à vista? Mantenha a calma. Há solução. De acordo com a dermatologista especialista em cosmiatria, há três boas dicas para ajudar a melhorar o aspecto embaixo dos olhos e mandar a baixa autoestima embora. A primeira delas é o uso de máscaras faciais.

“Elas são desenvolvidas especialmente para essa área do rosto e são superindicadas para melhorar a má aparência das olheiras. Em sua formulação, vale observar se o produto contém o ativo acetil tetrapeptídeo. Isso porque a substância tem ação descongestionante e antiedematosa para a região periocular, promovendo sensação de relaxamento na região dos olhos e reduzindo marcas de expressão e olheiras.”

Outras duas recomendações são as compressas de água fria, que tendem a suavizar as olheiras, e a massagem realizada na região.

“A baixa temperatura das compressas provoca a vasoconstrição, que nada mais é do que a diminuição dos vasos pela redução de circulação do sangue na área sensível. Porém, é importante não deixar a compressa muito gelada, já que, por ter a pele mais fina, a região pode queimar com mais facilidade.”

As massagens nas pálpebras funcionam como uma drenagem linfática e, por isso, podem ajudar a diminuir o edema da área. “Aplique um creme próprio para a região dos olhos e com o dedo anelar deslize com suavidade, do canto interno da pálpebra superior para o canto externo, fazendo uma leve pressão. Depois, repita o processo na parte inferior dos olhos. Para finalizar, dê leves batidinhas na região com a ponta dos dedos indicador e médio”, ensina.

*Estagiária sob supervisão da editora Teresa Caram



Olheiras? O que fazer?

Saiba como evitar e cuidar do aspecto indesejado na região dos olhos!

  Durma bem
  Faça massagens nas pálpebras
  Faça compressas de água fria
  Faça o uso de máscaras faciais
  Consulte um médico especialista

Fonte: Luciana Garbelini, dermatologista especialista em cosmiatria


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade