Publicidade

Estado de Minas ESTÉTICA E SAÚDE

Procura por cirurgias plásticas entre idosos é crescente no Brasil

Procedimentos de rejuvenescimento facial estão entre os mais procurados entre os brasileiros acima de 60 anos


14/10/2020 13:38 - atualizado 14/10/2020 14:13

Foto ilustrativa(foto: Anna Shvets/Pexels)
Foto ilustrativa (foto: Anna Shvets/Pexels)
Vaidade não tem idade. A cada ano que passa, mais brasileiros acima de 60 anos procuram por cirurgias plásticas - seja por questões estéticas, de cuidado ou de saúde. Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), entre 2016 e 2018, o número de procedimentos entre idosos saltou de 5,4% para 6,6% - e a tendência é que a estatística siga crescendo.

Entre as cirurgias, as favoritas da terceira idade são as de resjuvenescimento facial. "As pessoas estão se cuidando mais, têm mais liberdade para expressar a idade e, se há algo que incomoda, se sente livre para melhorar isso", avalia Pedro Henrique Oliveira, cirurgião plástico e membro especialista da SBCP.

"Isso sem falar no envelhecimento da população. Temos mais pessoas nessa faixa etária, então, consequentemente, teremos mais pacientes. Sem dúvidas a tendência é de demanda ainda maior", completa o médico.

O número de cirurgias entre adultos de 36 a 50 anos também é crescente: eram 36,3% do total em 2017, ultrapassando os 34,7% dos mais jovens, entre 19 e 35. É, também, uma tendência mundial: nos EUA, em 2016, quase 13% dos procedimentos foram em pessoas acima de 65 anos.

Entre os procedimentos de rejuvenescimento, os mais procurados, segundo o médico, são os da face: tratamento das pálpebras, lifting facial e lifting no pescoço. Ainda segundo dados da SBCP, a maioria procura por questões de autoestima e de relacionamentos afetivos.

Cuidados

O cirurgião alerta que o risco não é maior entre os idosos, mas cuidados especiais são necessários. "Principalmente no pré-operatório. É mais comum que pessoas mais velhas tenham alguma doença associada, como diabetes, pressão alta, desordem hormonal. Tudo isso precisa estar controlado antes da realização do procedimento", esclarece.

O pós-operatório também deve ter rigoroso acompanhamento. "Se comporta um pouco diferente. Precisa de um tempo maior, de um cuidado mais de perto. É um pós-operatório mais intensivo", pontua.

Os interessados em realizar cirurgias plásticas devem estar com a saúde em dia e ficar atento na hora da escolha do médico. "Os exames e acompanhamentos precisam estar em dia, as doenças controladas e manter um hábito de vida saudável", explica. "Se for tabagista, precisa estar sem cigarro há, pelo menos, quatro semanas".

A escolha do médico também exige atenção. "Pesquisar se é certificado pela Sociedade Brasileira, conhecer o local, buscar referências, tirar todas as dúvidas. É preciso ajustar todas as expectativas e estar bem informado sobre o procedimento", completa.

Complicações

A chance de uma cirurgia não tão bem-sucedida é a mesma entre idosos e pessoas jovens. "Cada caso é um caso, mas a orientação geral é procurar o cirurgião responsável, que é a pessoa mais apta a saber como resolver. Por isso, é preciso conhecer e ter confiança", diz.

Em geral, apesar dos transtornos, as complicações, em geral, são passíveis de solução. Apesar disso, a melhor solução é sempre a prevenção. As sequelas podem deixar traumas físicos e psicológicos.

Unir o útil ao agradável

A professora Ceci Maura, de 57 anos, passou, na última terça-feira (6), por uma cirurgia plástica na face. "Fiz nas pálpebras e não ficou nada roxo. Indo muito bem", conta.

Ceci Maura teve um câncer de pele. Ao tirar o tumor, perdeu uma parte da pele do nariz e tirou das pálpebras para fazer o enxerto. "Foi por necessidade. Poderia ter tirado de outra parte do corpo, mas seria melhor uma pele do próprio rosto para preencher", lembra. "Uni o útil ao agradável".

Ela conta que teve medo, mas, no final, foi tudo muito tranquilo. "Fiquei com medo de não enxergar mais, confesso", narra.

Ainda esperando a cicatrização dos pontos, a professora já planeja novas cirurgias. "Fiz uma bariátrica e quero tirar a pele da barriga. Colocar silicone também", diz.
 
* Estagiário sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade