Publicidade

Estado de Minas Jardinagem

Plantas: melhor companhia

Cada um tem sua planta preferida, o que revela um pouco da personalidade. Ao saber escolher a que combina com o seu perfil e cuidar dela, você receberá os benefícios também para a saúde


(foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)


Com a chegada da primavera no Hemisfério Sul, em 22 de setembro, a paisagem muda. É hora do desabrochar das flores, de chuvas por causa do aumento da temperatura e a certeza de um clima ameno. A estação também anuncia a chegada das orquídeas, uma das mais belas da flora, deixando qualquer ambiente mais bonito. Nilton Cesar Pires, de 49 anos, há quatro décadas cultiva orquídeas, aprendeu com o pai e, desde então, não consegue viver sem a presença dessas plantas maravilhosas.

A paixão foi tanta que se tornou o seu meio de gerar renda. “Acho fantástico trabalhar em meio a estas belezas, e também é gratificante. Visito as pessoas em casa para dar manutenção e ao longo desses anos fiz diversas amizades, que vão além de uma relação comercial”, diz.

Nilton Cesar revela que o contato, não só com as orquídeas, mas com toda espécie de planta, tem feito muito bem durante a pandemia. O que ele recomenda para todos. “O cultivo de plantas nos faz pessoas melhores, acalma o coração, traz paz e alegria em meio a esta pandemia. Pude perceber a importância de ter uma ocupação saudável. Inclusive, durante esta quarentena ouvi o seguinte relato: 'Não sei o que seria de mim sem as plantas nesse momento'. Na verdade, elas são excelentes companheiras. Plantas são seres vivos e precisam de carinho, afeto, uma conversa, aí podemos entender o que cada uma precisa e ela nos retribuir com lindas flores e frutos.” Sem falar que o cultivo de orquídeas auxilia no combate à depressão, destaca.
 
Orquidófilo e paisagista, Nilton César Pires aprendeu a cultivar as orquídeas com o pai e diz que não consegue viver sem a presença delas (foto: Arquivo pessoal)
Orquidófilo e paisagista, Nilton César Pires aprendeu a cultivar as orquídeas com o pai e diz que não consegue viver sem a presença delas (foto: Arquivo pessoal)
 
 
Para quem pretende levar plantas para dentro de casa, Nilton Cesar indica mais as folhagens, plantas ideais para interiores, como zamioculcas, crotons, samambaias e suculentas. Quanto às orquídeas, ele indica as Phalaenopsis, ótimas para interiores, fáceis de cuidar e que alegram muito o ambiente. É a espécie que pode ser cultivada dentro de casa, em uma sala bem-iluminada ou até mesmo em um banheiro. “E lembre-se de regá-la sempre que o substrato estiver secando.”

Para as varandas, Nilton Cesar indica as seguintes espécies: "Dendrobiums, Oncidiuns, Cattleyas, Miltonias e Denfaus, plantas relativamente fáceis de cultivar e muito apreciadas. Já para os jardins, a escolha certa, além das já mencionadas, destaco as Cymbidiums, e Laelias, entre outras".

Para escolher a planta certa e ter o melhor custo/benefício, Nilton Cesar recomenda pesquisar: “Procure nos comércios locais que ofereçam variedades e preços acessíveis. Com criatividade, todos podem ter pelo menos um vaso de planta em casa”. O seu orquidário, o Nilton Orquídeas, fica no Vale do Sol, em Nova Lima.

LUMINOSIDADE 

Nilton Cesar destaca os cuidados básicos que todos que adquirem uma espécie de orquídea devem ter. Principalmente, regar quando estiverem secando. Segundo ele, as orquídeas são plantas de pouca água, precisam de um ciclo composto em molhar e secar. A luminosidade é fundamental. A orquídea pode receber sol direto pela manhã, e indireto o dia todo. Elas exigem pouca luminosidade, por isso, quanto mais simples for tratada, melhor será.

E acrescenta: “Certa vez, em um evento no interior, uma senhora me disse: 'Fiz de tudo com a minha orquídea e ela morreu'. E eu respondi: 'Se não tivesse feito nada, não a teria perdido'. Tenha um contato direto e próximo com a sua orquídea e ela lhe dirá do que precisa. Assim, você terá orquídeas lindas”.


 
 
(foto: Luisella Planeta Leoni/Pixabay)
(foto: Luisella Planeta Leoni/Pixabay)
 
 
A sedução das suculentas

As suculentas são o tipo de planta que todos querem ter em casa. Fáceis de cuidar, elas têm grande variedade de tipos, formas e cores. Adaptam-se bem em qualquer tipo de ambiente, externo ou interno, e também conseguem sobreviver em espaços fechados, desde que recebam uma boa iluminação, ainda que indireta. Carol Costa, jardineira parceira da Flores Online, dá quatro dicas essenciais para os cuidados com as suculentas. Confira:


1 Plantas que ficam muito tempo no sol necessitam de cálcio. Por isso, adubá-las sempre será uma boa ideia. Há muito cálcio na casca do ovo, que pode ser triturada no liquidificador e colocada em volta da suculenta ou enterrada no vaso.


2 Muita atenção com as regas. Antes de regar, toque a terra com a ponta do dedo; se estiver úmida, não molhe. A própria folha da espécie tem muita água.


3 Falando em regar, muitas pessoas utilizam o pulverizador, mas ele está longe de ser o instrumento perfeito para as suculentas. Pelo contrário. Jogar água em cima de suas folhas pode causar fungos e, consequentemente, o apodrecimento da planta. A melhor forma de regá-las é usando uma seringa ou regador de bico fino.


4 Se você deseja fazer novas mudas da suculenta, basta retirar as folhas de uma espécie e colocá-las superficialmente sobre uma bandeja ou pote com areia umedecida. Nesse estágio, ela pode ser pulverizada. Em algumas semanas nascerão as primeiras raízes. Então, é só repetir o processo, mas em um vaso com substrato. Transporte-a para ele, não enterrando, mas apoiando-a na terra e em breve a nova suculenta irá se desenvolver naturalmente. Essa técnica funciona para muitas espécies, não pra todas. Algumas se reproduzem por batatinhas, por caules ou por divisão de touceira.


Plantando arte

 
 
Projeto da paisagista Erly Hooper: missão de integrar a natureza com qualquer espaço para garantir bem-estar e beleza (foto: Arquivo Pessoal)
Projeto da paisagista Erly Hooper: missão de integrar a natureza com qualquer espaço para garantir bem-estar e beleza (foto: Arquivo Pessoal)
 
Ela está há mais de quatro décadas plantando arte, como gosta de dizer. Admiradora de Burle Marx, mas com sua identidade, a paisagista Erly Hooper não só executa os projetos da sua empresa como ensina e dá consultoria. Com estilo próprio, ela é encantada pela oportunidade de criar arte com o ser vivo. Erly trabalha com cores, texturas contextualização, mobiliários, formas, enfim, aceita a missão de integrar a natureza com qualquer espaço para garantir bem-estar, harmonia e beleza.

Com a primavera vindo aí, a estação tão esperada vai trazer um pouco de esperança, espelhada no renascimento das flores, diante desta luta contra a pandemia. “A primavera é o florescimento das plantas terrestres, é a estação que se segue ao inverno e que precede o verão. Acho que a estação traz muitas cores, muitas alegrias e contentamentos para as pessoas. E a estação encanta porque é a época das flores, já diz tudo.”

Erly Hooper revela que a primavera traz uma diversidade de plantas e flores que cada um pode investir seja para áreas externas ou internas. “São muitas e muitas, mas vamos citar algumas da flora brasileira, como os ipês, as quaresmeiras, as buganvílias e as eritrinas. Ainda se destacam algumas que se adaptaram ao nosso clima, como azaleias, jasmins, lírios e cerejeiras.”

A paisagista destaca que é sempre importante ter plantas dentro de casa, principalmente se morar em apartamento. “Como sugestão, posso indicar as espadas-de-são-Jorge, os imbés, as samambaias, as begônias e as orquídeas. É importante ter a orientação de um profissional.”

E ao adquirir as plantas primaveris, seja para dentro de casa, em vasos, jardins ou varandas, esses seres vivos, enfatiza Erly Hooper, precisam de cuidado e dedicação. “Nas plantas cultivadas dentro de casa, abrir as cortinas todos os dias para entrar luminosidade e também abrir as janelas, para renovar o ar. Observar se o solo está seco e regar com muito carinho. O importante é procurar dar uma 'comidinha' periodicamente, que seriam os adubos orgânicos e químicos. Todas as plantas vão ficar felizes e vão responder.”


DESIGN BIOFÍLICO


Sempre é bom ter por perto as plantas, as flores, o verde, doses da natureza, é energia do bem. Erly Hooper destaca que, atualmente, ganha força o chamado design biofílico, uma tendência que surge por uma necessidade do ser humano. A biofilia é amor pela vida ou por organismos vivos, instinto de preservação e de conservação. E o design biofílico é uma forma inovadora de aproveitar essa afinidade para criar ambientes naturais em que se possa viver, trabalhar e aprender. “É algo que faz parte do ser humano e que faz parte da minha história profissional há décadas, embora a denominação de agora e a publicidade tenham datas mais recentes.”

FAZER PRAZEROSO 


Nesta quarentena, pode-se dizer que quem gosta e cuida acaba tendo nas plantas uma companhia, uma distração, maneira de passar o tempo, aliviar a pressão, ocupar a mente com um afazer prazeroso. “É fato que a presença das plantas pode reduzir o estresse, contribuir para saúde física, melhorar o conforto, o desempenho e a produtividade. É o que recomendo para tempos de home office e isolamento social. Estatisticamente, está comprovado que o consumo de plantas tem aumentado, e o comércio está ativado. Tenho conversado com os fornecedores e comerciantes de plantas, e eles confirmam”, conta Erly Hooper.

Erly Hooper revela que, no início da pandemia no país e do isolamento social, ela fez uma parada radical por 60 dias, mas depois, com a procura dos clientes, para retomar o trabalho procurou orientação com os profissionais da área de saúde. Tomando todos os cuidados necessários, a retomada ocorre aos poucos. “Sempre encontro um tempo para cuidar das minhas plantas, porque é o que mais gosto de fazer. Profissionalmente, já se passaram 44 anos que estou no mercado e imagino continuar fazendo o que gosto. São 44 anos plantando artes.” 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade