Publicidade

Estado de Minas conta-gotas

Desequilíbrios energéticos


postado em 12/07/2020 04:00


 (foto: Midas Music/Divulgação )
(foto: Midas Music/Divulgação )



As terapias energéticas trabalham a saúde com métodos diferentes da medicina convencional, de forma complementar e sem fazer uso de substâncias medicamentosas. O mestre em reiki e karuna reiki Luís Delgado dá dicas a fim de que a percepção em torno do desequilíbrio energético seja mais bem compreendida.

1 - Entenda os chacras

Trata-se de verdadeiros vórtices de energia que fazem parte da nossa estrutura. No Oriente, diz-se que ao todo existem dezenas de milhares de chacras ao longo do corpo, havendo sete principais. E cada um governa determinadas partes físicas do corpo, bem como estão ligados a outras questões como criatividade, raiva, intuição e medo, dependendo de seu equilíbrio.

2 - Escolha suas terapias

Existem muitas técnicas para tratar essas regiões do ser. E cada uma delas não só tem uma abordagem diferente para “encontrar” onde está o desequilíbrio como também para tratá-lo. Como nos métodos de radiestesia e reiki.


3 - Desenvolva o olhar

Mesmo antes de procurar algum tratamento complementar, pode-se desenvolver a percepção para encontrar a área na qual existem dificuldades. Há pessoas que têm a sensibilidade muito desenvolvida, enxergam auras, uns até mesmo os chacras, mas pode-se também ver por meio das consequências e do sentir.



4 - Aceite a holística

Holística vem do grego “holos”, que significa “todo”. A harmonia existe quando tudo está em equilíbrio. Dá a visão de que não se é separado do universo, da vida. Também indica que o ser não pode ser separado, e que um ponto em desequilíbrio afeta outro e mais outro.


Benefícios da cera quente na depilação
 
(foto: Pello Menos/Divulgação)
(foto: Pello Menos/Divulgação)
 
O termo depilação é amplamente utilizado para descrever todos os procedimentos de eliminação de pelos. Regina Jordão, CEO e fundadora do Instituto Pello Menos, explica as vantagens da cera quente nesse processo, em detrimento de outras formas de retirar o pelo. “Este tipo de método permite uma ‘pele lisinha’ por mais tempo, pois quando o procedimento de cera quente é adotado, a necessidade de repetição se torna mais espaçada. Além disso, por ser quente, é um ótimo esfoliante, pois ao ser aplicada na pele, a cera seca rapidamente, propiciando a retirada das células mortas durante a remoção dos pelos. Ainda, a depilação com cera permite um aspecto mais liso e macio a pele, bem como a diminuição de dores durante a retirada dos pelos, visto que nesse procedimento há a dilatação dos poros”, diz.
 
 



Guia de reabertura para dermatologistas
 
 
Em virtude do período de retomada das atividades em clínicas e consultórios médicos, mesmo durante a pandemia da COVID-19, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) divulgou um guia com recomendações para o funcionamento e a manutenção desses estabelecimentos de saúde, em especial àqueles que oferecem serviços de fototerapia, utilizada no tratamento do vitiligo. As orientações incluem desde o cuidado na marcação das consultas até a indicação dos produtos adequados para a higienização dos equipamentos.
 
Acesse a íntegra do guia pelo link: https://www.sbd.org.br/mm/cms/2020/
06/30/sbdcartilha-consultorio.pdf.
 
 
 
 
Pandemia interfere no ciclo menstrual
 
(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)
 
Muitas mulheres estão sofrendo alteração no ciclo menstrual em decorrência das circunstâncias difíceis geradas pela pandemia: instabilidade financeira, isolamento social e dificuldades psicológicas – consequências do estresse e da ansiedade. Os momentos de estresse, episódios de perda, de tristeza ou de tensão afetam diretamente o ciclo, porque interferem na produção hormonal, alterando também a ovulação e, consequentemente, a menstruação, podendo atrasá-la, adiantá-la, não vir e ter muito ou pouco fluxo, variando de mulher para mulher. A secreção de hormônios pode mudar quando se está passando por situações extremas, como estresse, práticas esportivas muito intensas e dietas muito restritivas. Uma ou duas menstruações um pouco antes ou um pouco depois do normal não são motivos de preocupação. Mas a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) recomenda procurar um médico em caso de mudanças repetidas por um tempo prolongado, com sangramento intenso ou dores que impeçam os afazeres diários. Os especialistas recomendam uma alimentação saudável e atividades prazerosas, como leitura, exercícios físicos moderados e tempo de qualidade em família.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade