Publicidade

Estado de Minas

Entre no bloco da solidariedade e doe sangue durante o carnaval

De acordo com a Hemominas houve queda nos estoques para os dias de folia, principalmente do tipo O (positivo e negativo)


postado em 19/02/2020 13:46 / atualizado em 21/02/2020 19:02

Interessados em doar podem procurar as regionais da Hemominas durante o carnaval. O hemocentro não vai funcionar no domingo e na terça-feira de folia(foto: Hemominas/Divulgação)
Interessados em doar podem procurar as regionais da Hemominas durante o carnaval. O hemocentro não vai funcionar no domingo e na terça-feira de folia (foto: Hemominas/Divulgação)
 
Fundação Hemominas lançou a campanha – espalhe solidariedade no carnaval, doe sangue – como apelo para o comparecimento de doadores voluntários de sangue, fidelizados ou não, em todas as regiões de Minas Gerais. De acordo com o hemocentro, foi registrada uma queda nos estoques do grupo sanguíneo O (negativo e positivo). A fundação de saúde, que no dia 10 de janeiro completou 35 anos de atividades, é responsável por traçar ações estratégicas para a adequação do estoque em períodos de possível queda de comparecimento de doadores e aumento da demanda transfusional, como o carnaval. Além disso, o Ministério da Saúde reforça periodicamente a importância da doação de sangue.

Hoje estão cadastrados cerca de 3,3milhões doadores por ano, espalhados pelas 23 unidades pelo estado, mas, mesmo assim, é preciso um reforço nas doações de sangue. De acordo com a Hemominas, para manter o serviço prestado aos pacientes, a entidade está trabalhando de forma intensiva na coordenação e gestão do estoque de hemocomponentes, visando a manutenção do atendimento à população. O sangue doado é indispensável para que pacientes crônicos, com doença falciforme e talassemia, possam ter uma melhor qualidade de vida por mais de tempo. Além disso, pessoas que passam por procedimentos cirúrgicos e intervenções médicas precisam de usar o estoque de sangue, bem como feridos em situação de emergência.


Requisitos


Para doar, o voluntário precisa ter entre 16 e 69 anos e pesar mais de 50 kg, sendo que menores de 18 anos precisam da autorização dos pais. O agendamento pode ser realizado pelo site do hemocentro, levando em conta os dias e horários disponibilizados pela fundação. Aqueles que nunca doaram ou não o fazem há mais de dois anos, precisam antes de realizar o cadastro de doação, obter algumas informações sobre o processo, na sala de conscientização. A partir disso, o doador pode retirar o resultado da doação trinta dias após o ato, na unidade onde doou. Ainda, é necessário a apresentação de um documento oficial com foto antes do procedimento.

Pessoas com idade entre 60 e 69 anos só poderão doar sangue se já tiverem feito o procedimento antes dos 60. “A frequência máxima é de quatro doações de sangue anuais para homens e de três por ano para mulheres. O intervalo mínimo entre uma doação e outra é de dois meses para os homens e três meses para as mulheres”, informa o site oficial do Ministério da Saúde.

Além de estar em plena saúde, o voluntário precisa estar bem alimentado e evitar alimentos gordurosos nas três horas antecedentes à coleta de sangue. Caso a doação seja feita após o almoço, é necessário aguardar duas horas após a refeição. É fundamental uma boa noite de sono, de no mínimo seis horas. 

Impedimentos temporários


  • Em casos de gripe, resfriado e febre, é necessário aguardar sete dias após o desaparecimento dos sintomas para realizar a doação. No período gestacional, a mulher não pode doar, assim como nos 90 dias após o parto normal e 180 na pós-gravidez de parto cesária. Durante a amamentação, a proibição também é feita, pelo menos 12 meses pós-parto. 
  • Ingestão de bebidas alcoólicas 12 horas antes do procedimento e, a aplicação de tatuagens e piercings nos últimos 12 meses, impossibilitam a ação, assim como quando o acessório é colocado em cavidade oral ou na região genital.
  • A transfusão de sangue, também, inviabiliza o voluntário a doar por cerca de um ano. Já apendicite, hérnia, amigdalectomia e varizes proibe a doação por 3 meses. Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem sequelas graves, tireoidectomia, colectomia e exames ou procedimentos feitos com a utilização de endoscópio necessitam uma espera de seis meses para que a pessoa possar realizar a doação.


Impedimentos definitivos


A evidência clínica e laboratorial de infecções sexualmente transmissíveis pelo sangue, por exemplo, hepatites B e C; AIDS (vírus HIV); doenças associadas ao vírus HTLV I e II e doença de chagas impossibilitam a doação, bem como a ocorrência de malária. Além disso, pessoas que fazem uso de drogas ilícitas são proibidas de doar.


Cuidados pós-doação


Alguns cuidados após o procedimento são necessários, como aumentar a ingestão de líquidos, principalmente água, evitar esforços físicos e ingestão de bebidas alcoólicas por 12 horas e não fumar por duas. É necessário, também, não dirigir veículos de grande porte, não trabalhar em andaimes e não praticar paraquedismo e mergulho. Ainda, é importante manter o curativo no local da punção por, pelo menos, quatro horas e fazer um pequeno lanche. 

Informações
Fundação Hemominas
Alameda Ezequiel Dias, 321, no Bairro Santa Efigênia, em Belo Horizonte 
Funcionamento: horários especiais durante o carnaval
 
 
 
*Estagiárias sob a supervisão do subeditor Carlos Altman  


Publicidade