Publicidade

Estado de Minas

Corrente do bem: estudantes de medicina gravam vídeo sobre os perigos do desafio da rasteira

Ação, que envolveu 49 alunos, integra projeto de extensão de ética médica de tradicional faculdade de medicina de BH


postado em 18/02/2020 17:52 / atualizado em 18/02/2020 18:01

(foto: Instagram/Reprodução)
(foto: Instagram/Reprodução)

A corrente de conscientização sobre os riscos do desafio da rasteira - mais nova febre entre crianças e adolescentes - ganhou mais um elo. 

Estudantes do curso de medicina da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais gravaram um vídeo alertando sobre os perigos do jogo, que viralizou com a adesão do youtuber Robson Calabianqui, o Fuinha. 



Os futuros médicos simulam a pegadinha dentro de um laboratório de habilidades e simulação realística, com a ajuda de um boneco, que faz o papel de "desavisado". Duas pessoas se posicionam ao lado dele e, então, aplicam a famigerada rasteira no protótipo. 

Pouco depois, um professor de pediatria entra em cena para exortar: "a prática pode causar lesões graves no crânio, coluna, ossos da bacia, além de fraturas de punho. Atenção, pais: alertem seus filhos para não fazerem essa brincadeira". 



Extensão

O professor de ética médica Leandro Duarte Carvalho explica que a iniciativa contou com a participação de 49 alunos e integra um projeto de extensão da Faculdade de Ciências Médicas, que visa a promoção de hábitos saudáveis e a preservação da vida. 

"Essas brincadeiras perigosas sempre existiram. A diferença é que, agora, a tecnologia permite que elas se espalhem muito rapidamente. A nossa intenção é combater essas práticas usando o mesmo recurso pelo qual elas são difundidas, ou seja, a internet. Se comportamentos perigosos viralizam, uma corrente do bem também pode viralizar", comenta. 


Publicidade