Publicidade

Estado de Minas

Oftalmologista explica como ocorre a miopia

Segundo a OMS (Organização Mundial da saúde), em 2020, cerca de 2,6 bilhões de pessoas podem sofrer com o problema


postado em 05/11/2019 08:30 / atualizado em 04/11/2019 18:10

Visita regular ao oftalmologista é essencial para evitar que o problema evolua (foto: Jair Amaral/Estado de Minas - 18/06/2004 )
Visita regular ao oftalmologista é essencial para evitar que o problema evolua (foto: Jair Amaral/Estado de Minas - 18/06/2004 )

 
Mudanças constantes na visão e dificuldade de enxergar de longe podem caracterizar um problema comum no Brasil: a miopia, “A miopia é a dificuldade de enxergar à distância caracterizada pelo alongamento ântero posterior do globo ocular. Pode ser causada por herança genética ou fatores ambientais”, explica o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto. 

Segundo o especialista a população brasileira é uma das que mais sofrem com a miopia. “Pior, no Brasil o número de míopes está crescendo mais rápido que em muitos países. Uma metanálise de 145 estudos mostra que, entre 2020 e 2050, a estimativa é de alta de 83% na população brasileira, enquanto no mesmo período deve aumentar 38,7% nos EUA”, afirma.

O médico explica algumas causas que podem acarretar o problema, como o uso constante de aparelhos eletrônicos durante a infância. “Os pais devem estar atentos à progressão e levar a criança todo início de ano letivo ao oftalmologista para evitar que ela tenha dificuldade de aprendizado. O uso de eletrônicos também deve ser monitorado para não ultrapassar duas horas/dia e deve ser evitado até dois anos. Outra recomendação é ensinar a criança a descansar os olhos a cada hora de uso por 20 a 30 minutos, visando manter a amplitude de foco para todas as distâncias”, revela.

 
 

O tratamento

 
Para evitar a progressão da miopia, é recomendado o uso de óculos e colírio diariamente. “A miopia não é considerada uma doença e portanto não tem cura, mas sua correção é essencial para garantir o bom desenvolvimento cognitivo da criança. O tratamento é corretivo e na infância o mais indicado é o uso de óculos. Os tratamentos para conter a progressão miopia são o colírio de atropina a 0,01% e a lente de contato ortoceratologia. O colírio de atropina dilata a pupila  e bloqueia receptores da retina  que estão coligados à evolução”, expõe o médico.
Colírio é uma das formas de tratamento para a miopia(foto: Leticia Abras/Estado de Minas - 23/10/2003)
Colírio é uma das formas de tratamento para a miopia (foto: Leticia Abras/Estado de Minas - 23/10/2003)

Graças aos avanços tecnológicos, além do uso do óculos, a miopia pode ser corrigida por meio de cirurgia, porém não são todas as pessoas que apresentam o problema podem optar por esse meio.  “Deixar de usar óculos é o sonho de muitos míopes que se tornou mais previsível com a cirurgia refrativa inteiramente a laser. Só é indicada para graus leves ou moderados e maiores de 21 anos que tenham estabilidade do o grau há um ano”, diz Leôncio.

Antes de escolher pela cirurgia é preciso realizar alguns exames para evitar problemas posteriores. “Por ser totalmente feita a laser é mais precisa e retira menos tecido da córnea para eliminar a miopia. Ainda assim, só pode ser feita após exame minucioso do olho. Quem tem de 8 a 20 anos pode optar pela correção com implante de lente sem  a retirada do cristalino. Esses dois avanços permitem que a  maioria dos míopes deixem de usar óculos.”


Publicidade