Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Em meio ao preconceito, casais homossexuais celebram o amor e a família

Amparada por decisão do STF, união entre pessoas do mesmo sexo é celebrada na vida real. Conheça histórias de famílias que desafiam e superam o preconceito


postado em 22/09/2019 04:00 / atualizado em 22/09/2019 13:03

Lucas Azevedo teve as bênçãos do pai para se casar com Tharcis Azevedo. Maísa Feital e Karla Kalife também receberam apoio dos familiares para a união conjugal(foto: arquivo pessoal)
Lucas Azevedo teve as bênçãos do pai para se casar com Tharcis Azevedo. Maísa Feital e Karla Kalife também receberam apoio dos familiares para a união conjugal (foto: arquivo pessoal)


Uma história de amor destacada em uma thread (sequência de posts) do Twitter viralizou na web, com mais de 2 milhões de visualizações. Escrita por Luiz Flávio Rodrigues, de 57 anos,  no dia do casamento do filho, Lucas Azevedo Schmoeller, de 31, com Tharcis Azevedo Schmoeller, de 35, o depoimento emocionou o casal, a família e até mesmo desconhecidos, que rechearam a timeline daquele pai de curtidas e comentários.
 
“Não tive nenhuma intenção ou motivação especial que não fosse a de externar a felicidade que eu sentia pelo casamento dos dois. Nas redes, costumo mostrar momentos de grande alegria e esse especialmente não seria diferente, pois foi uma das mais intensas que senti em minha vida”, revela Rodrigues. Para ele, “a família deve ser suporte para seus membros e é no seio da família que os filhos devem encontrar conforto, acolhida, respeito e muito diálogo. Amor!”.
 
(foto: Gladyston Rodrigues/em/d.a press)
(foto: Gladyston Rodrigues/em/d.a press)
 
 
Em setembro, considerado também o mês das noivas aqui no Brasil, Maísa Costa Feital, de 28, treinadora de tênis, e Karla Moreira Kalife, de 27, designer gráfica e fotógrafa, decidiram se casar com tudo a que têm direito: vestidos brancos, cerimônia, festa. Muito convidados e os pais de ambas abençoaram a união. A fazendeira Georgina Penna Costa, de 62, mãe de Maísa, vê com naturalidade a orientação sexual do casal. “Penso que uma pessoa pode se apaixonar por outra sem se preocupar com gênero. O amor acontece entre almas, ninguém manda no coração e todo mundo tem o direito de ser feliz!”, comenta.
 
Sim, familiares, amigos e o Supremo Tribunal Federal (STF) reconhecem a união entre pessoas do mesmo sexo como um ato legítimo no país. Aqui, os casais homoafetivos têm os mesmos direitos civis conferido aos casais heterossexuais. E por que não externar essa conquista com um casamento nos moldes tradicionais?
 

OBSTÁCULOS


 
Mas o amor homoafetivo ainda enfrenta obstáculos. Vide o episódio envolvendo os super-heróis da Marvel Wiccano e Hulkling, personagens da HQ Vingadores: a cruzada das crianças, protagonistas de polêmica pelo beijo gay retratado nos quadrinhos do gibi vendido na Bienal do Livro do Rio.

Considerado por muitos como vilão da história, o prefeito Marcelo Crivella determinou o recolhimento da história em quadrinhos e de outras publicações com conteúdo LGBT+ da feira literária. A favor dos personagens e contra o ato do prefeito centenas de autores, manifestos, decisões judiciais. Capítulos de uma história que ainda está longe do fim. Em cena, o livre direito de expressão contra atos considerados como censura e preconceito.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade