Publicidade

Estado de Minas CONTA-GOTAS

Proteja sua saúde auditiva


postado em 01/09/2019 04:00


(foto: Akim Neto/Divulgação )
(foto: Akim Neto/Divulgação )


Quando o assunto é audição, todo cuidado é pouco. Para se ter uma ideia, uma vez danificada sua saúde auditiva, ela pode se tornar um problema para o resto da vida. Segundo pesquisas da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 28 milhões, de total de 190 milhões de pessoas, têm problemas ligados à audição no país. Isso significa 14% da população brasileira. Pensando nisso, a fonoaudióloga Viviane Chein e a Telex Soluções Auditivas prepararam algumas dicas de como proteger a saúde auditiva:


» Fazer exames regulares: é muito importante solicitar ao médico de rotina a incorporação da avaliação auditiva aos exames regulares. Dessa forma, aumentam-se as chances de reconhecer os primeiros sinais e tratar possíveis problemas.

»Tomar medicamentos apenas quando indicado: certos medicamentos, como anti-inflamatórios, podem contribuir para a perda auditiva em alguns casos. Por esse motivo, qualquer tipo de medicamento deve ser utilizado somente com orientação médica.

» Parar de usar cotonetes nos ouvidos: é comum que as pessoas usem cotonetes para limpar a cera do canal auditivo, mas isso não é aconselhável. Um pouco de cera nos ouvidos não é apenas normal, mas também é importante. As orelhas são órgãos autolimpantes e essa cera impede que a poeira e outras partículas prejudiciais entrem no canal auditivo. Além disso, inserir qualquer coisa dentro do ouvido pode danificar o tímpano.

» Diminuir o volume dos fones de ouvido: de acordo com a Organização Mundial de Saúde, 1,1 bilhão de adolescentes e jovens em todo o mundo correm o risco de perda auditiva induzida por ruído devido ao uso inseguro de dispositivos de áudio. Os fones de ouvido podem ser perigosos, pois se encaixam próximos ao tímpano. Além disso, cada dispositivo tem tamanho e formato padrão, enquanto que cada pessoa tem um conduto e ouvido com medidas diferentes e, por isso, os fones podem machucar e até ferir se colocados de maneira incorreta ou se encaixados com muita força. Se possível, a pessoa deve optar por fones de ouvido supra-aurais (externos). E qualquer música alta, não apenas reproduzida por meio de fones, apresenta um risco.

» Use protetores auriculares: é importante se proteger em ambientes ruidosos. Use protetores auriculares (tampões ou protetores de ouvido) se você estiver usando equipamentos ruidosos, como furadeiras elétricas, serras, lixadeiras ou cortadores de grama.





Harmonizações avançam na estética
 
(foto: Pollyana Oliver/Divulgação)
(foto: Pollyana Oliver/Divulgação)
Estudo bianual divulgado recentemente pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica comparou os procedimentos feitos no ano passado com os de 2016 e mostrou que, pela primeira vez, o número de procedimentos estéticos não invasivos, ou seja, sem cirurgia, se igualou ao número de cirurgias estéticas. Em meio a essa estatística, a harmonização estética tem grande participação. Nesse contexto, o biomédico e professor de graduação em curso de estética pelo Brasil, Thiago Martins, tem percebido a demanda crescente pela técnica que criou há alguns anos, a harmonização corporal, na qual ele aplica conceito semelhante ao adotado para a facial, combinando procedimentos não invasivos para trabalhar as proporções do corpo de forma global. Gordura localizada, estrias, flacidez e celulite são as principais queixas. Segundo ele, ao tratar uma parte do corpo isoladamente, pode ocorrer uma desarmonia das proporções ou características, ressaltando aspectos indesejados, que antes do procedimento não ficavam em evidência. "Algumas pessoas acumulam mais gordura nas coxas e quadril, outras nos braços e costas, e cada formato de corpo tem sua beleza. A estética corporal deve respeitar o biótipo, a tendência fisiológica de cada um, tratando aquilo que incomoda, porém, com respeito às características individuais de forma harmônica", diz Thiago Martins.






Especialização para professores de ioga
 
(foto: michael lorenzo/freeimages )
(foto: michael lorenzo/freeimages )
A convite da professora Maria José Marinho, a presidente da Associação Internacional de Professores de Yoga, Anna Ivanov, estará em Belo Horizonte em 6 e 7 de setembro para ministrar cursos para professores da prática. Na sexta-feira, das 14h às 17h, o workshop de natha yoga mostra o método de ioga do Nepal que deu origem à hatha yoga. No sábado, das 8h às 17h, será a vez do workshop de yengar, método do padre Joe, da Kripa Foundation, na Índia. Ao final, Anna Ivanov estará disponível para explicações sobre uma viagem à India e ao Nepal, na Comunidade Natha Yoga, em novembro. Informações e inscrições: (31) 3225-4222, (31) 99145-7178 e mjm@pontoequilibrio.com.br.



Queimadas pioram doença na córnea
(foto: Pixabay/Reprodução)
(foto: Pixabay/Reprodução)

O aumento das queimadas está colocando a saúde em estado de alerta. De acordo com o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, além das vias respiratórias, os olhos estão entre os órgãos que mais sofrem com a poluição. Prova disso é o resultado de levantamento realizado pelo médico com 315 portadores de ceratocone, doença degenerativa na córnea, lente externa do olho que capta as imagens. Segundo ele, metade dos participantes afirmaram que sofrem com doenças respiratórias como asma, bronquite e rinite. Por isso, devem ter acompanhamento oftalmológico simultâneo ao de um pneumologista.  Queiroz Neto afirma que as doenças nas vias aéreas provocadas pela poluição provocam conjuntivite alérgica sazonal, que não é perigosa, mas precisa ser tratada. Os principais sintomas são irritação nos olhos, visão embaçada e coceira persistente. “Coçar os olhos enfraquece as fibras de colágeno da córnea. Por isso, as alterações nas vias respiratórias em quem já tem ceratocone facilitam a progressão da doença”, explica. O tratamento é sempre feito com colírio antialérgico e, dependendo do quanto os olhos estão irritados, pode-se restringir a aplicações de compressas frias, mas sempre após avaliação de um oftalmologista. A dica do médico é usar óculos nas atividades externas para criar uma barreira de proteção na região. O uso de lentes de contato deve ser interrompido durante a conjuntivite alérgica, para evitar lesões na córnea, adverte.





Grupo de Oração Nhá Chica

Será amanhã, no Salão Paroquial Catedral da 
Boa Viagem (Rua Sergipe, 175, funcionários), às 19h, 
mais um encontro de fiéis para orações em agradecimento à Beata Nhá Chica. Informações com o coordenador Márcio Barros pelo (31) 99941-9389.
 


Publicidade