Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Bolsonaro é um estorvo (mortal) para o país; 60% dos brasileiros já sabem

Jamais houve um presidente e um governo tão perversos e incapazes como os atuais


12/11/2021 15:45 - atualizado 12/11/2021 16:01

O presidente Jair Bolsonaro participa da solenidade
Quantas vidas não teriam sido poupadas, se Bolsonaro não tivesse pessoalmente! boicotado e sabotado a imunização em massa do nosso povo? (foto: Wilson Dias/Agência Brasil)
Mais de 600 mil brasileiros conheceram de perto, em maior ou menor grau, o poder destrutivo do negacionista homicida que comanda o Brasil. Infelizmente, hoje, não estão mais aqui para contar. Porém, seus amigos e familiares estão, e farão valer suas memórias.

Quase 20 milhões de brasileiros pobres e/ou miseráveis experimentam, também em maior ou menor grau, o flagelo da fome. Pior! Experimentam a mais absoluta sensação de impotência ao ver seus filhos chorando, com as barriguinhas vazias e o estômago doendo.

Mais de 15 milhões de pais e mães de família estão desempregados. A inflação, que voltou a níveis pré-real, ameaça atirar mais gente no desespero da geladeira vazia, enquanto o preço do gás e da gasolina retorna milhões de pessoas à era do carvão e da carroça.

Leia: PoderData: Bolsonaro deve sofrer impeachment, dizem 57% dos brasileiros

O PIOR PRESIDENTE DA HISTÓRIA

Jamais houve um presidente e um governo tão perversos e incapazes como os atuais. Nunca antes na história deste país, como dizia aquele outro pilantra maldito que ameaça retornar ao poder, o Brasil conheceu tantas crises simultâneas causadas pelo próprio Estado.

Leia: Lula amplia vantagem sobre Bolsonaro no 2º turno, diz pesquisa

O dólar, que arrasta toda a cadeia de custos do setor produtivo, só vale o que vale, em reais, por causa do discurso golpista, negacionista, psicopata e homicida do presidente, e o ‘sem número’ de besteiras que sua equipe de ‘ministros técnicos’ promove todos os dias.

A pandemia de coronavírus, que recrudesce em vários países mundo afora por causa desses malditos anti-vacinas, sócios da morte, como é o verdugo do Planalto, se encontra em franco declínio no Brasil após, a despeito de Jair Bolsonaro, a vacinação avançar.

O FIM DO PSICOPATA

Quantas vidas não teriam sido poupadas, se este maldito que nos desgoverna não tivesse - pessoalmente!! - boicotado e sabotado a imunização em massa do nosso povo? E se não tivesse, de forma canalha e criminosa, mentido tanto sobre as vacinas?

Há dois ou três meses, todas as pesquisas de opinião, de institutos diversos, vêm mostrando a ojeriza que a maior parte dos brasileiros sente por este energúmeno. São números sólidos e, aposto!, irreversíveis. E só não os comemoro porque o remédio ameaça ser igual.

Bolsonaro, o amigão do Queiroz, o patriarca do clã das rachadinhas, o ‘mercador da morte’, como bem o adjetivou a revista "IstoÉ", onde sou colunista, conseguiu, inclusive, ressuscitar o meliante de São Bernardo, para coroar de forma brilhante toda essa sua obra porca.

MORO x LULA

Diante de tudo, torna-se possível - ao menos imaginável - um cenário em que o devoto da cloroquina fique fora do segundo turno, ou até mesmo desista da disputa, arregue mesmo!, como é de seu feitio e próprio dos covardes, e opte por uma vaga no Congresso.

Leia: Ex-apoiadores de Bolsonaro migram na direção de Moro

Com isso, a eleição tenderia a uma nova polarização, desta vez entre um ex-juiz ‘suspeito’ e o criminoso que condenou - ratificado por três desembargadores e quatro ministros do STJ -, nos trazendo uma lufada bem tímida, quase imperceptível de esperança.

Não. Não acho Moro o ideal nem o tenho como ídolo. Aliás, apenas votaria nele para tentar evitar um desastre completo. Mas, sem pensar duas vezes, afirmo que é infinitamente mais preparado, capaz e adequado que as duas pestes atualmente favoritas.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade