Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Sara Winter: lugar de selvagem é na jaula

Arruaceira bolsonarista comete novo crime, desta vez contra uma criança vítima de estupro


17/08/2020 06:44

Sara Winter expôs o nome da criança vítima de estupro em redes sociais(foto: Reprodução/Twitter)
Sara Winter expôs o nome da criança vítima de estupro em redes sociais (foto: Reprodução/Twitter)

O drama é de uma gravidade e barbaridade tamanhas, que sequer deveria ser discutido e publicizado. Mas se torna ainda pior quando um grupo de selvagens à toa, sem qualquer ligação com o caso, tenta sequestrar a dor e o horror inimagináveis por que passam a vítima e sua família, e arvora-se na condição de participante legítimo da situação.

Trato aqui da triste história da garotinha de dez anos que foi estuprada pelo tio, e não bastasse a violência sofrida, engravidou. Após autorização judicial, seguiu para o hospital a fim de interromper a gravidez. Moradora do Espírito Santo, diante da recusa da instituição local, seguiu para Recife, em Pernambuco, para realização do aborto.

A terrorista bolsonarista, codinome Sara Winter, em redes sociais divulgou o nome da criança e o hospital onde ela se encontra. Grupos anti-aborto seguiram para a unidade de saúde e tentaram invadi-la. Fico a me perguntar: 1) o que essa gente asquerosa tem com isso?; 2) como podem ser capazes de usar a dor de uma criança e sua família em proveito próprio?

A mim já é insuportável ter de aguardar um juiz - ou juíza - autorizar a interrupção de uma gravidez indesejada, fruto de uma violência desumana, que não bastasse a causa, ainda expõe a criança ao risco da própria vida. Imagine, então, submeter tal catástrofe aos conceitos (e preconceitos) ideológicos de um bando de desocupados imorais.

O sofrimento dessa criança é brutal e será sentido pelo resto da sua vida. Como o de seus pais, coitados. Ao invés de apoio, solidariedade, respeito e carinho, as vítimas dessa desgraça colhem ainda mais violência dessa turba indomesticada, movida por dogmas religiosos e morais que desejam impor, na marra, a quem tanto está sofrendo.

Essa tal Winter e todos da sua laia não merecem compartilhar uma sociedade civilizada. Não são pessoas muito diferentes de estupradores. Apenas usam métodos e possuem motivos diferentes para praticar violência e opressão, sobretudo desrespeitar a individualidade e liberdade alheia. São selvagens que merecem cadeia. Como cadeia, perpétua e solitária, merece o animal que violentou a menina.

Que Deus conforte, de alguma maneira, essa pobre criança e sua família.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade