Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas OPINIãO SEM MEDO

TRF-4 pode devolver Lula para a cadeia

"Após a decisão do tribunal, ainda que seus parças de Brasília anulem a sentença de Guarujá, Lula continuará inelegível. Perdeu, playboy!"


postado em 29/11/2019 06:00

(foto: NELSON ALMEIDA / AFP)
(foto: NELSON ALMEIDA / AFP)

Há muito, Lula deixou de ser uma (quase) unanimidade no País, exceto na 13a Vara Federal de Justiça de Curitiba e no Tribunal Regional Federal da 4a região, responsáveis pelos casos da Lava-Jato. Por lá, o corrupto e lavador de dinheiro, já condenado em duas instâncias e no STJ - em liberdade graças aos amigos do STF - continua unânime.

Nesta quarta-feira (27), o petista teve sua pena de 12 anos de prisão, imposta pela juíza Gabriela Hardt - substituta do ex-juiz federal e atual ministro da justiça Sergio Moro - majorada pelos desembargadores Leandro Paulsen, Thompson Flores e João Pedro Gebran Neto, a 17 anos, 1 mês e 10 dias em regime fechado. Pelas bandas do Sul do Brasil, Luiz Inácio continua uma unanimidade. Já no Supremo, ‘quem tem padrinho não morre pagão’, e Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski sabem disso.

STF

O advogado mais chorão do mundo, Cristiano Zanin, provavelmente também o mais bem pago, afirmou que a decisão afronta a Suprema Corte que decidiu ser direito de um réu delatado (caso do meliante de São Bernardo) manifestar-se por último, após os réus delatores. Na ação do tríplex de Guarujá, a versão brasileira do Harry Potter não pediu para o seu cliente se manifestar ao final. Já na do sítio de Atibaia, motivo do julgamento desta quarta, sim.

Em mais uma manobra jurídica-política, Lula conta com a anulação da sua pena anterior, imposta por Moro, por suspeição. O caso encontra-se na Segunda Turma do STF. Se obtiver sucesso, o amigão dos réus confessos Antônio Palocci e Marcelo Odebrecht reaverá seus direitos políticos e estará livre para enfrentar Jair Bolsonaro nas eleições de 2022. Tsk, tsk, tsk… Após essa decisão do TRF-4, ainda que seus parças de Brasília anulem a sentença de Guarujá, Lula continuará inelegível. Perdeu, playboy!

CONGRESSO

Entre idas e vindas e tapas e beijos, deputados federais e senadores se preparam para legalizar o que já era legal e aprovar (textualmente e claramente) a possibilidade de prisão após uma condenação de segunda instância, e não somente após o famigerado trânsito em julgado. Se a vontade do PT e dos demais partidos de esquerda, além do Centrão, não prevalecer, o Gabigol da corrupção assistirá aos jogos do Corinthians, no Brasileirão de 2021, no conforto da sua cela-suíte, no Spa da Federal em Curitiba. Sorte a dele que seu time não corre o risco de cair para a segunda divisão, como correm Atlético e Cruzeiro.
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade