Publicidade

Estado de Minas PAGO QUANDO PUDER

Solidariedade: como ajudar quem precisa mesmo sem ter dinheiro pra doar

Por mais que você queira, nunca sobra dinheiro para ajudar em causas sociais? Saiba que dá pra fazer isso sem gastar nada!


21/07/2021 06:00 - atualizado 19/07/2021 20:29

(foto: Freepik/Reprodução)
(foto: Freepik/Reprodução)
nível de pobreza e extrema pobreza voltou a crescer no Brasil depois de mais de um ano de pandemia. Isso é o que revela estudos realizados pela Universidade de São Paulo (USP) no primeiro semestre deste ano.

Essa elevação é, sem dúvida, consequência dos índices recordes de desemprego e da alta da inflação, que reduz o poder de compra da população — como a gente tem visto, diariamente, nas idas ao supermercado.

Diante desse contexto que agrava a desigualdade social no Brasil, muita gente busca alternativas para ajudar quem mais precisa. Mas, a vida não anda fácil pra quase ninguém e, muitas vezes, depois de pagar nossas contas, não sobra nem um real que possa ser investido em uma doação ou em alguma ação de caridade, por mais bem intencionado que a gente esteja.

Esse é o seu caso? Então saiba que, assim como você, estamos cansados de assistir, com uma sensação de impotência, pessoas em situação de rua vivendo em situações desumanas, um número cada vez maior de pessoas pedindo dinheiro ou vendendo produtos nos semáforos e até mesmo crianças sendo expostas a trabalhos infantis, como última tentativa de uma família pra conseguir dinheiro urgente e colocar comida na mesa.

Foi pensando nisso que aproveitamos o Dia Nacional da Caridade, celebrado no último dia 19 de julho, e preparamos o artigo de hoje, com dicas de como podemos ajudar quem mais precisa, mesmo não tendo dinheiro para fazer doações.
Confira!

Invista seu tempo em boas causas


Essa história de que o bem mais precioso que a gente tem é o tempo é a mais pura verdade. Por isso, saiba que, muitas vezes, dedicar algumas horas da sua vida a uma causa social é mais impactante do que qualquer doação em dinheiro que você possa fazer.

Tem algum asilo perto da sua casa, por exemplo? Você pode visitar a instituição e ver se eles estão com alguma necessidade. Passar um tempo ouvindo as histórias dos idosos, participando de brincadeira com eles ou ajudando a organizar algum evento da instituição podem ser ótimas maneiras de investir o seu tempo.

Você pode fazer ações semelhantes em outros tipos de instituições, como creches e abrigos para pessoas em situação de rua. E você nem precisa ir muito longe pra isso, viu?

É bem provável que no seu bairro ou na sua região tenha alguma iniciativa que precise de ajuda nesse sentido.

No contexto em que vivemos, que ainda é de pandemia, pode ser que visitar os locais presencialmente seja um pouco mais complicado. Nesse caso, você também pode colaborar investindo seu tempo para arrecadar entre os seus familiares, conhecidos e outras pessoas da sua comunidade, itens que esses locais precisam, tais como alimentos, itens de higiene pessoal e material de limpeza.

Use a tecnologia a favor da boa ação


Nem só pra facilitar nossa vida e manter o contato com os amigos a tecnologia é útil. Hoje em dia, existem alguns aplicativos que permitem que os usuários ajudem Organizações Não Governamentais ou outras causas sociais sem precisar desembolsar nada.

Uma das principais iniciativas nesse sentido é o Ribon, que permite que os usuários direcionem doações para instituições que precisam, a partir de acesso diário e da visualização de notícias positivas.

E de onde sai o dinheiro? Das empresas que patrocinam a iniciativa e inserem anúncios nos conteúdos que você vai acessar. Mais simples impossível, né? Outra vantagem é que é o próprio usuário que escolhe para qual causa quer doar o dinheiro que gerou na plataforma.

Outra dica para usar a tecnologia a favor da boa ação é o Charity Miles. E sabe qual é o melhor dessa plataforma? É que você faz doação a partir da prática de atividade física. A boa e velha história de dois coelhos em uma cajadada só, sabe? Basta você registrar uma caminhada, corrida ou pedalada no aplicativo e transformar as calorias gastas em doações reais.

Existem outras iniciativas semelhantes a essa e vale a pena dar uma pesquisada para encontrar alguma que faça mais sentido para a sua rotina e para os hábitos que você já tem, ou mesmo para ter uma motivação extra para ter uma rotina mais saudável.

Doe roupas e objetos usados


Essa já é uma prática bastante utilizada por muita gente, mas é sempre válido lembrar que, em casa, a gente costuma guardar muita coisa que não precisa e que pode ser muito mais útil para outras pessoas.

Você já parou pra pensar, por exemplo, que pessoas que passam por uma transição de gênero e não têm uma boa condição de vida — ou não foram bem acolhidas pela família — precisam de novas roupas para assumir sua nova identidade? Esse pode ser um excelente destino para as peças paradas no seu armário.

Uma das iniciativas de relevância nesse sentido é o projeto Transição de Roupas, coordenado pela Cruz Vermelha. Na campanha, a instituição reforça que essa história de “roupa de homem” e “roupa de mulher” é coisa do passado, mas que o estilo de uma pessoa se vestir pode mudar com a transição de gênero.

E existem outros caminhos que vão além de fazer uma doação direta. Igrejas, por exemplo, costumam promover feiras e bazares para vender objetos usados e arrecadar dinheiro para causas sociais. Por isso, antes de simplesmente descartar um objeto, vale a pena refletir se ele pode ser útil para alguém que precisa e de que forma ele pode ser ferramenta para uma boa ação.

Converta uma boa ação em saúde e felicidade


Como se não bastasse todo o bem que você pode fazer para quem precisa, é importante entender que uma boa ação é capaz de promover saúde e felicidade não só para quem a recebe, mas também para quem a pratica. 

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostrou que ações solidárias estimulam a área do sistema nervoso central responsável por lidar com estresse. Na prática, o que acontece é que ver nossas ações causando mudanças positivas na vida de outras pessoas ativam partes importantes do nosso cérebro, que passam a produzir hormônios que nos dão a sensação de prazer e felicidade, como a dopamina.

Além disso, a ciência também já comprovou que comportamentos altruístas são capazes de promover benefícios para a saúde física.

De acordo com estudos do instituto Gallup World Poll, entidade global responsável pelas pesquisas mais abrangentes e de maior alcance do mundo, quem faz trabalho voluntário apresenta um risco menor de alto índice de glicose no sangue e um risco menor de níveis de inflamação relacionados a doenças cardíacas.

Além disso, a pesquisa também mostrou que pessoas que praticam boas ações voltadas para o cuidado com o próximo também passam 38% menos noites em hospitais do que as pessoas que evitam se engajar em atos de caridade.
Bom, se você tinha vontade de ajudar quem mais precisa, mas não sabia como fazer isso sem se apertar financeiramente, o caminho deve ter ficado mais fácil agora, certo? 

O mais importante é entender que, se cada um fizer uma boa ação — por menor que ela seja —, juntos somos capazes de transformar a realidade de muita gente.

Se você gostou deste conteúdo, vai curtir acompanhar o Pago Quando Puder nas redes sociais. Lá, o propósito é bem claro: a gente paga quando puder, mas ajudar quem precisa a gente pode sempre!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade