Publicidade

Estado de Minas PAGO QUANDO PUDER

Cartão de crédito: é vilão ou mocinho na novela das finanças?

É fato que o pedacinho de plástico é protagonista na nossa vida financeira. O que ainda não está claro é se ele é o mocinho ou o vilão nessa trama


26/01/2021 07:18

(foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)
Você sabia que 835,8 bilhões de reais foram transacionados no Brasil, usando o cartão de crédito, de janeiro a setembro de 2020? É o que aponta a Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços) no último estudo divulgado pela instituição. O valor é superior à soma das quantias pagas via cartão de débito e pré-pago juntas.

A nossa forma de pagamento preferida é um dos principais elementos da vida financeira adulta. Tê-lo pode representar uma certa liberdade, autonomia e controle sobre as próprias finanças, mas, como tudo na vida, requer cuidado. Já dizia o saudoso tio Ben: “Com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades.”

Para que serve o cartão de crédito?


Já parou para pensar na revolução que o cartão de crédito representa no universo financeiro? Antes dele, só era possível fazer pagamentos à vista e, em geral, em dinheiro. Os primeiros cartões desse tipo, no formato de plástico que conhecemos, surgiram na década de 1950, mas se tornaram famosos mesmo na década de 1960.

A partir daí, foi questão de tempo até que ele chegasse em vários países e transformasse a vida financeira de muita gente, inclusive a nossa até hoje.

Na prática, o cartão de crédito é um tipo de empréstimo, de limite pré-aprovado e curta duração, ao qual muitos de nós tem acesso. Sendo assim, ele permite que façamos compromissos financeiros hoje, para serem pagos no futuro.

Por isso, a aprovação — bem como a escolha de qual limite será fornecido — depende do quão bom é nosso histórico financeiro. É o famoso “como anda seu nome na praça”.

Para que uma empresa que fornece cartão de crédito confie no seu compromisso, e te forneça o empréstimo mensalmente, é necessário mostrar que você costuma honrar os contratos financeiros que assume.

Tudo tem seu lado bom, inclusive o cartão de crédito


O cartão de crédito é visto, muitas vezes, como o maior vilão da nossa vida financeira. E é fato que ele pode ser mesmo, mas nem sempre. Existem algumas situações em que ele pode ser um grande reforço, ajudar em situações de emergência, ganhar uma grana e até economizar.

Esse pedacinho de plástico, tão simples, pode ser de grande ajuda em situações em que é necessário:

- fazer uma compra parcelada, devido ao alto valor do item;
- dispor de recursos em uma situação de emergência financeira;
- evitar andar com dinheiro físico, por questões de segurança;
- fazer viagens internacionais usando apenas o cartão.

E vários outros contextos, que variam de pessoa para pessoa. Além desses benefícios, existem outros criados pelas empresas que disponibilizam os cartões, que funcionam como uma forma de estimular o uso. Veja alguns e descubra qual deles faz sentido para você:

- Programa de pontos: esse tipo de benefício permite que você acumule pontos a cada compra que faz. Você pode aproveitar o saldo acumulado para trocá-lo por produtos ou serviços que já precisaria.

- Cashback: algumas lojas e bancos oferecem uma porcentagem do dinheiro de volta a cada vez que você faz uma compra com cartão de crédito. Em alguns casos, esse valor pode retornar para você como saldo na conta bancária.

- Milhas aéreas: existem operadoras de cartão que oferecem o acúmulo de milhas a cada compra. Você pode usá-las para economizar em passagens aéreas ou até mesmo vendê-las.

Mas nem tudo são flores: não vale gastar mais do que deveria só pra ter acesso aos benefícios, né? A dica é: aproveite para ter vantagens em compras que já faria de qualquer maneira!

Mas também existem as ciladas


O cartão de crédito não tem apenas a face boazinha. Ele pode se tornar um vilão digno das novelas mexicanas se não for tratado com muito cuidado. Mas, antes que você confunda as coisas, saiba: a responsabilidade não é do pedacinho de plástico, e sim do uso que damos a ele!

Por isso, é bom ficar de olho aberto para que os benefícios do cartão não sejam apagados pela confusão causada pelas ciladas financeiras que podem surgir. Tome cuidado com:

%u25CF Golpes de cartão: eles podem acontecer quando você passa o cartão nas maquininhas ou faz compras pela internet. Para evitar esses golpes, atente-se para qualquer alteração suspeita na máquina e, sempre que possível, use o cartão virtual do seu banco.

%u25CF Tentações: muita gente sente que o limite do cartão de crédito é uma extensão do próprio salário. Não é! Evite ao máximo deixar que a fatura ultrapasse a metade do seu salário.

%u25CF Acúmulo de parcelas: às vezes a gente vai comprando, comprando, comprando, e nem percebe o quanto aquelas comprinhas parceladas, quando juntas, formam um montante grande na fatura. Parcelar em mais vezes pode ser tentador para que o valor pese menos no orçamento mensal, mas várias pequenas parcelas podem gerar uma fatura alta e difícil de quitar.

Se você esperava um veredito final, infelizmente, não temos. Se o cartão de crédito será um mocinho ou um vilão na novela que é nossa vida financeira, só a gente pode escolher. Qual é a sua escolha?

Quer saber tudo sobre finanças, empréstimos e cartão de crédito? 
Veja a biblioteca de dicas
do Pago Quando Puder!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade