Publicidade

Estado de Minas PAGO QUANDO PUDER

As 7 ondas que você deve pular para ter 2021 mais próspero financeiramente

O ano novo chegou e, com ele, vêm os novos (ou nem tão novos assim) desafios financeiros. O fato é: você precisa superá-los para ter tranquilidade financeira


06/01/2021 08:04

O que não faltam são superstições de ano novo para você recorrer. Há dica pra tudo: ter mais sucesso, encontrar um novo amor, conseguir mais dinheiro, por aí vai. A lista é imensa. E, com um 2020 como o que tivemos, todo recurso é válido para deixarmos a zica ir embora e termos um 2021 melhor!

Uma das tradições mais seguidas é a de pular 7 ondinhas na virada do ano. O costume veio com os povos africanos e tem origem umbandista. Não há um consenso sobre qual a explicação correta para essa prática, mas ela representa, em geral, uma forma de pedir às divindades força para o próximo ano.

Quando o assunto é vida financeira, você pode até pedir ajuda para lidar com as adversidades, mas há apenas uma pessoa que pode colocar a mão na massa e tornar os planos realidade.

Confira as 7 ondas importantes que você pode precisar superar em 2021 para ter mais tranquilidade financeira!

1ª onda: as crenças limitantes

Não tinha como outra onda ser a primeira, até porque, sem superar as crenças limitantes, fica muito difícil ultrapassar, de forma definitiva, as outras ondas que podem fazer um estrago nas suas finanças.

Toda questão financeira começa com a forma como a gente pensa e fala sobre dinheiro. E isso é baseado no que a gente ouve dentro da família, nos noticiários e em outros círculos sociais ao longo de toda a nossa vida. Por isso, não se engane: pular essa primeira onda já é um grande desafio. Mas o benefício é certeiro!

Para ter uma vida financeira próspera você precisará esquecer aquelas frases que comprometem seu bolso, tais como 'só se vive uma vez', 'quem nasce pobre, morre pobre', 'isso é um problema do meu eu do futuro', entre outras.

2ª onda: os gastos fantasmas

Sabe quando você olha pro seu saldo no banco e pensa: 'Pra onde foi o meu dinheiro?', ou ainda, quando você se assusta ao ver a fatura do cartão de crédito? Isso provavelmente acontece devido aos gastos fantasmas, que são aqueles do dia a dia, menores, mas bem mais difíceis de controlar.

O café rápido na padaria, o Uber para distâncias pequenas, presentes não planejados, assinaturas de aplicativos e serviços, lanches, entre outros. Muitas vezes, pelo valor ser pequeno, o consumidor pensa que aquela compra não fará muita diferença no orçamento.

De fato, R$ 5 ou R$ 10 de vez em quando talvez não traga muito impacto. Porém, quando são frequentes, esses gastos podem representar um grande ralo por onde seu suado dinheirinho vai escorrer.

Se você parar pra pensar, muitas vezes essas compras são desnecessárias. Por isso, para pular a onda dos gastos fantasmas, olhe para os meses anteriores e descubra quais são os seus principais padrões de consumo desse tipo!

3ª onda: os sanguessugas

É importante observar quem está do seu lado e ter muito cuidado para não ser passado para trás. Você já sabe qual lugar está cheio das boas intenções, não é?

Brincadeiras à parte, o objetivo não é te incentivar a desconfiar de tudo e de todos, mas sim a olhar para o seu dinheiro com o valor que ele tem para você. Ninguém vai valorizar tanto o seu esforço para ganhá-lo quanto você mesmo.

Um clássico exemplo dessa onda complicada é o empréstimo do nome para pessoas que você não tem certeza se vão pagar o compromisso financeiro. No fim, quem paga a conta é quem colocou o nome lá. Por isso, evite ao máximo colocar seu nome em risco!

Sendo assim, a dica é que você pule essa onda o mais rápido e alto que puder. Afaste-se o quanto antes de quem faz um mau aproveitamento daquilo que você recebe e oferece.

4ª onda: a falta de controle financeiro

Essa onda é muito menor do que muita gente pensa. Fazer um controle financeiro é, em primeiro lugar, colocar no papel — ou em qualquer outra ferramenta — o quanto você ganha e gasta. Esse exercício, além de importante para que você realmente conheça as suas finanças e não fique refém do acaso e da sorte, é super prazeroso de fazer.

Se não sabe o que entra ou o que sai do seu bolso, dificilmente conseguirá fazer qualquer tipo de plano adequado à sua realidade, afinal, sem um controle básico, é improvável que você conheça, de verdade, qual é a sua realidade.

Muitas pessoas vivem padrões de vida acima do que a condição financeira atual permitiria, e nem sabem disso. Então, pular a onda da falta de controle financeiro é se dar um banho de realidade necessário para ter um 2021 mais próspero!

5ª onda: as dívidas

Dívidas são como verdadeiros furos no balde das suas finanças. Não importa o quanto você se esforce para enchê-lo, os juros das dívidas sempre farão com que o dinheiro vaze mais e mais para fora.

Por isso, para pular a onda das dívidas e deixar as cobranças ficarem para trás, de uma vez por todas, é necessário priorizá-las.

O primeiro passo é vencer a procrastinação e o medo de olhar para as pendências. Mesmo que você não consiga arcar com o pagamento de todas elas agora, conhecendo-as, é possível entender qual delas representa o maior buraco nas suas contas e pensar em como você consegue renegociá-las.

Assim, você evita que os juros continuem aumentando e já cria um plano para pular a onda — ou as ondas — de dívida assim que possível!

6ª onda: o salário baixo

É muito difícil fazer qualquer plano financeiro se a única coisa que dá pra fazer com o que você recebe é pagar os boletos que chegam todo mês. Concorda que apenas se contentar com essa realidade não é uma boa opção?

Não dá para contar com a sorte para conseguir superar a onda do salário baixo em 2021. Para alcançar essa meta pense em como você pode, dentro da sua realidade hoje, aumentar a sua renda.

Pode ser investindo em capacitação ou em um projeto novo para argumentar por melhores salários no trabalho, ou através da venda de objetos que não usa mais, oferecendo serviços para outras pessoas, usando alguma habilidade sua para criar uma forma de renda extra, entre outras opções.

7ª onda: as compras por impulso

Quem nunca fez uma compra e se arrependeu depois, que atire a primeira pedra. Quando esse impulso acontece vez ou outra, não é motivo de muito alarde — gastar dinheiro desnecessariamente é sempre ruim, mas faz parte do processo de aprendizado.

A onda se torna maior e mais difícil de pular quando as compras por impulso passam a ser um padrão ou algo muito difícil de controlar.

Quando essa onda chegar perto de você, lembre-se: uma compra ótima, na hora errada, também é uma compra ruim. Respire fundo e pule a onda da impulsividade para ficar sem peso na consciência em 2021! Siga o Pago Quando Puder no Instagram e veja dicas práticas de como superar cada um desses desafios financeiros!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade