Publicidade

Estado de Minas O FATO EM FOCO

Varíola dos Macacos: mortos podem ser fator de contaminação pelo vírus?

Secretaria Estadual de Saúde analisa riscos que procedimentos de tanatopraxia para velórios podem levar a profissionais em contato com corpos de vítimas


05/08/2022 09:40

José Eustáquio Barboza, professor de Anatomia e Necropsia na Faculdade de Medicina na UFMG
José Eustáquio Barboza, professor da UFMG (foto: Reprodução/Youtube)


Após primeira morte por Varíola dos Macacos registrada em Belo Horizonte, uma pergunta vem a tona: como ficam os corpos de pessoas mortas pela doença, que é altamente contagiosa?


O Fato em Foco com José Eustáquio Barboza, professor de Anatomia e Necropsia na Faculdade de Medicina na Universidade Federal de Minas Gerais, especialista em Tanatopraxia. Ele fala sobre a prática dessa técnica que permite aos parentes velarem os corpos por várias horas, e que, em caso de contaminação pela COVID-19, não poderia ser realizado. E no caso da varíola dos macacos?

O especialista provocou a Secretaria Estadual de Saúde a emitir nota técnica a respeito do tema, e alerta para o trabalho de profissionais da Saúde e de funerárias, no que se refere ao atendimento a pessoas contaminadas.

Confira no vídeo. Esse é O Fato em Foco!



 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade