Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Cruzeiro só empata e continua longe dos ponteiros

Aquela frase sempre usada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo prevaleceu. "O medo de perder tirou a vontade de ganhar"


07/09/2021 23:37 - atualizado 07/09/2021 23:44

Cruzeiro e Goiás empataram por 1 a 1(foto: Heber Gomes/AGIF/Estadão Conteúdo)
Cruzeiro e Goiás empataram por 1 a 1 (foto: Heber Gomes/AGIF/Estadão Conteúdo)

 
O Cruzeiro apenas empatou em 1 a 1 com o Goiás, na Serrinha, e continua mais perto do Z-4 do que do G-4. O jogo foi muito ruim, com poucas opções ofensivas e falta de qualidade. Aquela frase sempre usada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo prevaleceu. "O medo de perder tirou a vontade de ganhar".

O Cruzeiro empata demais e isso é nítido pela falta de qualidade de seu grupo e pela dificuldade, já que não pode contratar, por restrições da Fifa.

A vitória era primordial para o Cruzeiro continuar sonhando com o acesso à elite. O Goiás, com 38 pontos, estava mais tranquilo colado nos ponteiros. O time azul tinha 25 pontos e a vencer significava mais 3 pontinhos, para atingir 28 e se manter com esperanças.

Claro que tem muito campeonato pela frente, mas é preciso vencer uns 4 jogos, de forma consecutiva, para encostar no pelotão da frente, e, é claro, torcer para os concorrentes, perderem pontos.

A média do técnico Vanderlei Luxemburgo é excelente, 12 pontos em 18 disputados, até essa partida. O problema é o passivo que ele pegou, quando o time estava no Z-4.

O primeiro tempo foi muito ruim. Os goleiros pouco trabalhavam, pois os dois ataques eram ineficientes. O Cruzeiro respeitava demais o Goiás. Para quem só a vitória interessava, o time mineiro era pouco produtivo.

Não adianta ter média de posse de bola, de domínio técnico, se não consegue criar oportunidades de gols. Bruno José saiu, machucado, e deu vez a Marcinho. Que joguinho ruim! De uma intermediária à outra, a marcação era a tônica. Alguém precisava arriscar mais, criar algo.

Adriano segura o jogador do Goiás, no meio-campo. Que coisa medíocre. Levou cartão amarelo gratuito. O futebol brasileiro é assim.

Gente, com 30 minutos de jogo, nenhum chute a gol dos dois lados! Aos 36, Alef Manga deu o primeiro chute a gol, da partida, e quase marcou. A bola tirou tinta do travessão. E foi ele também quem chutou da entrada da área, para fora. Sóbis deu, aos 46 minutos, o único chute do Cruzeiro na primeira etapa, para fora. Que jogo fraco e terrível!

O segundo tempo começou no mesmo ritmo sonolento. Giovanni arriscou de fora da área, por cima do gol. Luxemburgo mexeu. Tirou Giovanni e Sóbis, pondo Claudinho e Thiago. Wellington Nem, até então apagado, puxou o contra-ataque e enfiou para Thiago. O atacante tocou de pé esquerdo, por cima do goleiro, fazendo Cruzeiro 1 a 0.

Mais uma vez, brilhou a estrela dele e do treinador.

No lance seguinte, O Goiás empatou. A defesa cruzeirense errou, com Eduardo Brock, e a bola foi cruzada da direita e Elvis chutou forte, no canto de Fábio, sem defesa para o goleiro. 1 a 1.

Wellington Nem quase desempatou ao chutar rente a trave. Uma sucessão de furadas na área cruzeirense, impediu o segundo gol do Goiás. A comentarista de arbitragem Janete Arcanjo percebeu que, no gol do Goiás, que aconteceu após a saída de bola, depois do gol cruzeirense, o atacante goiano estava no campo do Cruzeiro, Será que isso não caracteriza um erro da arbitragem, em campo, e do VAR? Então o gol do Goiás foi irregular.

Marcinho teve grande chance, ao dominar na área e chutar. Tadeu fez grande defesa, e, no rebote, Thiago chutou longe. Uma grande chance, desperdiçada. O empate foi muito ruim para o time azul, pois, dentro ou fora de casa, tem que jogar em busca dos 3 pontos, se quiser sonhar com a volta à elite.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade